1 evento ao vivo

Cambridge criará bolsa em homenagem a italiano morto no Egito

Giulio Regeni foi torturado e assassinado no Cairo, em 2016

11 jan 2018
19h26
atualizado às 19h55
  • separator
  • comentários

A Universidade de Cambridge, no Reino Unido, anunciou que criará uma bolsa de estudos em memória de Giulio Regeni, pesquisador italiano encontrado morto no Cairo, capital do Egito, em fevereiro de 2016.

Protesto em Roma cobra solução do caso Giulio Regeni
Protesto em Roma cobra solução do caso Giulio Regeni
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

O assessor de imprensa da instituição, Ángel Gurría, disse à ANSA que a homenagem já está sendo preparada. A bolsa deve ser lançada nas próximas semanas, no aniversário de dois anos do assassinato de Regeni, que fazia doutorado em Cambridge.

O italiano estava no Egito para preparar uma tese sobre sindicatos independentes, mas desapareceu no dia 25 de janeiro de 2016. Ele fora visto pela última vez em uma linha de metrô no Cairo, e seu corpo só foi encontrado uma semana depois, com evidentes sinais de tortura.

Regeni frequentava organizações sindicais clandestinas e contrárias ao presidente Abdel Fatah al Sisi, o que levantou a hipótese de crime político, mas o caso segue sem solução.

Na última quarta-feira (10), investigadores do Ministério Público de Roma realizaram uma operação de busca e apreensão no escritório e na casa da orientadora do pesquisador, Maha Abdel Rahman, e levaram computadores, pen drives, discos rígidos e um celular.

Oficialmente, a Universidade de Cambridge não comenta o caso. O objetivo dos procuradores é entender o papel da professora nos fatos da investigação e na escolha do tema da tese de Regeni, que ela garante ter sido dele.

Ansa - Brasil   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade