0

Bolívia abre valas comuns ante colapso de cemitérios por coronavírus

3 jul 2020
19h24
atualizado às 19h33
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Valas comuns estão sendo escavadas nos cemitérios da Bolívia para enterrar o crescente número de mortos pelo coronavírus, despertando temores entre vizinhos dos locais sobre possível contaminação.

Cemitério para vítimas do coronavírus em Trinidad, Bolívia 
07/06/2020
REUTERS/Carlos Vargas
Cemitério para vítimas do coronavírus em Trinidad, Bolívia 07/06/2020 REUTERS/Carlos Vargas
Foto: Reuters

O drama dos enterros tem ocorrido principalmente na cidade de Cochabamba, a terceira mais afetada pela Covid-19 no país, que até o momento registra 1.200 mortos e mais de 35.500 casos do novo coronavírus.

No Cemitério-Geral da cidade, tratores e caminhões trabalham na abertura das valas comuns, enquanto familiares de vítimas aguardam para poder enterrar seus entes queridos.

"As mortes naturais foram enterradas, mas de Covid, seja suspeita ou morte em análise... nenhum foi enterrado. Disseram que eram mais de 135", disse Raquel Loaiza, representante das casas funerárias de Cochabamba, na região central do país.

Vizinhos do cemitério de Cochabamba têm demonstrado preocupações a respeito das valas comuns, que acreditam que podem provocar contágios de coronavírus nos arredores do local.

Em outros cemitérios da Bolívia também foram registradas imagens de filas de carros fúnebres esperando para entrar no necrotério, enquanto o país ainda não conseguiu disponibilizar um local específico para enterrar as vítimas de Covid-19.

Veja também:

Bilby, o estranho animal com 'orelhas de coelho' que volta à natureza após quase desaparecer
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade