1 evento ao vivo

Malaysia Airlines "teme pelo pior" após mais de 24h de busca

Um especialista americano em gestão de recuperação de desastre dá assistência para a companhia aérea nos trabalhos de busca que já duram mais de 24 horas

9 mar 2014
00h53
atualizado às 09h01
  • separator
  • 0
  • comentários

A companhia aérea Malaysia Airlines divulgou comunicado neste domingo (horário local), afirmando que, “temendo pelo pior”, está trabalhando continuamente com as autoridades para tentar encontrar o avião desaparecido há mais de 24 horas. Além disso, a empresa disse que está contando com a assistência de um especialista de Atlanta, nos Estados Unidos, em gestão de recuperação de desastres.

Segundo a companhia, equipes de busca e resgate seguem trabalhando para encontrar a aeronave, que perdeu contato pouco depois da decolagem, em Kuala Lumpur, na Malásia. O destino do voo MH370 era Pequim, na China. A Malaysia Airlines afirmou que está fazendo todo o possível para prestar apoio aos familiares dos passageiros, o que inclui ajuda financeira.

A aérea declarou que enviou uma equipe de 94 profissionais, além de membros da fundação Tzu Chi, para providenciar ajuda emocional aos parentes dos passageiros. Um grupo adicional deve ser enviado a Pequim para se encontrar com profissionais que já estão realizando o mesmo serviço na China.

FBI
Agentes e técnicos do FBI vão participar da investigação sobre o desaparecimento da aeronave, já que três pessoas que estavam no voo eram americanas. Os oficiais afirmam que investigam a possibilidade de terrorismo, já que dois passageiros aparentemente utilizaram passaportes roubados, mas acrescentaram que até o momento não há nenhum indício de terrorismo.

Mais cedo, foi confirmado que dois passageiros viajavam com passaportes roubados, o que levantou a hipótese de possível ataque. Funcionários dos ministérios do Exterior em Roma e Viena confirmaram que dois cidadãos europeus cujos nomes foram divulgados na lista de passageiros do voo da Malaysia Airlines que desapareceu com 239 pessoas a bordo tiveram seus passaportes roubados na Tailândia e não estavam na aeronave.

O italiano estava viajando na Tailândia e o austríaco foi localizado em seu país natal, disseram as autoridades.

Foto: Arte / Terra
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade