0

Malásia: passageiro com passaporte falso é cidadão iraniano

11 mar 2014
04h52
atualizado às 10h31
  • separator
  • 0
  • comentários

A polícia da Malásia afirmou nesta terça-feira que um dos passageiros do voo MH370 da Malaysia Airlines, desaparecido desde o sábado, é um cidadão iraniano que procurava por asilo, de acordo com informações da agência AP.

Imagem divulgada pela polícia da Malásia mostra o jovem iraniano de 19 anos e outro homem não identificado que embarcaram no voo da Malaysian Airlines desaparecido desde o final de semana
Imagem divulgada pela polícia da Malásia mostra o jovem iraniano de 19 anos e outro homem não identificado que embarcaram no voo da Malaysian Airlines desaparecido desde o final de semana
Foto: Polícia da Malásia / AFP

Segundo o inspetor geral da polícia malaia, Tan Sri Khalid Abu Bakar, acredita-se que o homem, de 19 anos, identificado como Pouria Nour Mohammad Mehrdad, não seja membro de algum grupo terrorista, e que seu objetivo seria aoenas chegar até a Alemanha.

<a data-cke-saved-href="http://noticias.terra.com.br/mundo/queda-aviao/" data-cke-677-href="http://noticias.terra.com.br/mundo/queda-aviao/">veja o infográfico</a>

“Nós acreditamos que não seja provável ele ser membro de algum grupo terrorista”, disse o policial, acrescentando que a mãe do jovem estava esperando por ele em Frankfurt e que entrou em contato com a polícia.

Khalid Abu Bakar afirmou que a mãe, preocupada com a falta de contato com o filho, entrou em contato com autoridades da Malásia para informar sobre a situação. O policial afirmou que o segundo passageiro que embarcou com passaporte falso ainda não foi identificado.

Também nesta terça, a companhia aérea Malaysia Airlines disse que estendeu a busca pelo avião desaparecido para áreas além da possível trajetória do voo, incluindo algumas terrestres. O foco, segundo a empresa, agora está na região peninsular oeste da Malásia, no estreito de Malaca, uma vez que as autoridades estão considerando a possibilidade de o Boeing 777 ter tentado voltar.

A companhia acrescentou que não está descartando nenhuma possibilidade, e todas as hipóteses estão sendo consideradas. A Malaysia Airlines disse que a operação para localizar a aeronave, que já entrou no quarto dia, está sendo auxiliada por vários países, como Austrália, China, Tailândia, Indonésia, Cingapura, Vietnã, Filipinas e os Estados Unidos. No total, nove aviões e 24 embarcações estão sendo utilizadas.

<a data-cke-saved-href="http://noticias.terra.com.br/mundo/maiores-acidentes-aereos/" href="http://noticias.terra.com.br/mundo/maiores-acidentes-aereos/">veja o infográfico</a>

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade