PUBLICIDADE

Maduro diz que teve "longas conversas" com Fidel Castro em Cuba

25 dez 2013 00h01
| atualizado às 00h02
ver comentários
Publicidade
Fidel e Maduro conversaram sobre temas regionais e lembraram "simbolicamente" o 19º aniversário da primeira visita do falecido líder Hugo Chávez à ilha
Fidel e Maduro conversaram sobre temas regionais e lembraram "simbolicamente" o 19º aniversário da primeira visita do falecido líder Hugo Chávez à ilha
Foto: EFE

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse nesta terça-feira que durante sua curta e não anunciada visita a Cuba no fim de semana e na segunda-feira, teve boas e longas conversas com o líder da revolução cubana, Fidel Castro.

"Tivemos bons encontros, longos encontros de conversa e trabalho com o comandante Fidel Castro", disse Maduro em sua mensagem natalina direto do palácio presidencial de Miraflores transmitido em cadeia obrigatória de rádio e televisão.

Maduro comentou que chegou a Caracas "no meio do dia" direto de Havana, onde se reuniu também com seu colega Raúl Castro.

A imprensa cubana, que publicou nessa terça-feira fotografias e vídeos da reunião entre Maduro e Raúl Castro, disseram que os presidentes conversaram sobre "temas da agenda internacional e regional". Maduro viajou para Cuba acompanhado de sua esposa, Cilia Flores, para uma visita que não tinha sido anunciada previamente.

O presidente venezuelano disse que na segunda-feira, ainda em Cuba, recebeu as famílias de "cinco heróis lutadores antiterroristas, quatro deles ainda sequestrados em prisões do império" em alusão aos cinco cubanos condenados por espionagem nos EUA em 2001.

Maduro se referiu a eles como "lutadores antiterroristas" e disse ter certeza que "mais cedo ou mais tarde estarão nas ruas livres de Havana e Caracas".

E contou que recebeu um presente "formosíssimo" de um dos cinco, Antonio Guerrero, um retrato do presidente venezuelano Hugo Chávez pintado pelo agente na prisão nos Estados Unidos.

Granma informou hoje que Maduro se reuniu ontem com René González, o único preso que já está em liberdade do grupo dos cinco.

Sob o mandato de Chávez, morto em 5 de março, a Venezuela se tornou o principal aliado político e econômico de Cuba. Desde 2000 os governos mantêm um convênio que foi ampliando paulatinamente até abranger temas de todo tipo, incluído um energético pelo qual a ilha recebe 100 mil barris diários de petróleo da Venezuela.

EFE   
Publicidade
Publicidade