PUBLICIDADE

A escalada de 10 horas que salvou mineiros da Vale no Canadá

Trinta dos 39 mineiros foram resgatados depois de escalar 1km de escadas para escapar de uma mina em Sudbury.

28 set 2021 16h10
ver comentários
Publicidade
A mina Totten é administrada pela empresa brasileira Vale e emprega cerca de 200 pessoas na produção de cobre, níquel e metais preciosos
A mina Totten é administrada pela empresa brasileira Vale e emprega cerca de 200 pessoas na produção de cobre, níquel e metais preciosos
Foto: Reuters / BBC News Brasil

Trinta dos 39 mineiros que ficaram presos no subsolo de uma mina da brasileira Vale, no leste do Canadá, enfrentaram uma escalada vertical de 10 horas para conseguirem escapar.

Eles ficaram presos dentro da mina Totten em Sudbury, Ontário, no domingo (26/09), depois que o sistema de elevadores quebrou. Durante o período, os mineiros não sofreram nenhum ferimento e tiveram acesso a comida e água.

A mina Totten é administrada pela Vale e emprega cerca de 200 pessoas na produção de cobre, níquel e outros metais.

Os esforços de resgate começaram na segunda-feira. Os mineiros exaustos usaram arreios para montaria para se manter sentados e descansar durante a escalada de 1 km.

A emissora local CTV informou que os primeiro quatro mineiros chegaram à superfície na madrugada de terça-feira (28/09).

Shawn Rideout, oficial chefe de resgate de minas da Ontario Mine Rescue, disse que os trabalhadores estavam no poço da mina havia mais de 35 horas antes de começarem a subida.

Ele explicou que a subida pode levar até 10 horas, mas há paradas para descanso a cada 100 metros, caso eles precisem fazer uma pausa.

"Todos estão seguros, estão todos de bom humor, não temos feridos relatados. Nosso plano é levá-los à superfície da mesma forma", disse ele.

Os mineiros também puderam falar com suas famílias ao telefone.

O sistema de elevação tornou-se inoperante no domingo, depois que uma pesada caçamba bateu nele e bloqueou o poço.

BBC News Brasil BBC News Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC News Brasil.
Publicidade
Publicidade