PUBLICIDADE

Guilherme Mazieiro

Polícia investiga ameaça de morte com teor nazista aos senadores Do Val e Contarato

Polícia Legislativa investiga e-mail que ameaça matar os dois representantes do Espírito Santo e promover “série de ataques terroristas"

10 ago 2023 - 13h58
(atualizado às 14h08)
Compartilhar
Exibir comentários
Polícia Legislativa investiga o caso de ameaça aos senadores
Polícia Legislativa investiga o caso de ameaça aos senadores
Foto: - Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil / Flipar

A Polícia Legislativa investiga uma ameaça de morte feita a dois senadores do Espírito Santo, Marcos do Val (Podemos) e Fabiano Contarato (PT). O texto faz referências nazista e cita a tentativa de explodir uma bomba no aeroporto de Brasília, no final do ano passado e o ataque às escolas de Aracruz, no Espírito Santo.

O caso foi relatado à Polícia Legislativa por ser o órgão competente para investigar crimes contra senadores e realizar a segurança dos parlamentares. A mensagem encaminhada pelo codinome “Capixaba Raiz” traz xingamentos aos senadores e ataques homofóbicos a Contarato, que é líder do PT no Senado e militante LGBTQIA +.

O texto traz trechos supremacistas com termos racistas, dizendo que Contarato “envergonha" os capixabas e termina com uma saudação em alemão ao líder nazista Adolph Hitler. A coluna teve acesso ao e-mail, mas decidiu não reproduzir a íntegra da carta com ataques nazistas e homofóbicos. 

A informação foi divulgada pelo portal O Antagonista e confirmada pela coluna. O e-mail com as ameaças, não faz referência ao terceiro senador do estado, Magno Malta (PL). As mensagens foram enviadas entre esta quarta-feira, 9, e quinta-feira, 10, aos e-mails funcionais dos senadores.

“Marcos do Val, palhaço sem graça, se ele não renunciar vamos te matar [...] Esse é também um aviso para o senador Fabiano Contarato, que representa muitíssimo mal o nosso estado. Exigimos a renúncia imediata do senador, caso contrário vamos lançar uma série de ataques terroristas ao Distrito Federal”, diz um trecho.

“Estamos estocando grande quantidade de explosivos roubados de uma pedreira em algum ponto do território nacional e vamos levar na surdina para Brasília”, relata o e-mail ameaçando explodir as bombas no Hospital de Base, na Esplanada ou em algum restaurante "frequentado por políticos".

Em março, a Polícia Federal fez uma operação para prender pessoas envolvidas em um plano para assassinar o senador Sérgio Moro (União Brasil-PR).

Fonte: Guilherme Mazieiro Guilherme Mazieiro é repórter e cobre política em Brasília (DF). Já trabalhou nas redações de O Estado de S. Paulo, EPTV/Globo Campinas, UOL e The Intercept Brasil. Formado em jornalismo na Puc-Campinas, com especialização em Gestão Pública e Governo na Unicamp. As opiniões do colunista não representam a visão do Terra. 
Compartilhar
Publicidade
Publicidade