PUBLICIDADE

Guilherme Mazieiro

Em evento, Margareth Menezes cobra Lula por “paridade” de mulheres em cargos de poder

Governo Lula demitiu duas ministras ano passado para acomodar acordos com o Centrão

7 mar 2024 - 11h45
Compartilhar
Exibir comentários
Ministra da Cultura, Margareth Menezes
Ministra da Cultura, Margareth Menezes
Foto: Guilherme Mazieiro/Terra

A ministra da Cultura, Margareth Menezes, cobrou publicamente do presidente Lula (PT) a maior representação feminina em cargos de poder. Durante apresentação de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no Palácio do Planalto, nesta quinta, 7, a ministra disse que a representação feminina "ainda não é o adequado", porque querem "paridade" (igualdade). A gestão petista é criticada por aliados e em falas da primeira-dama, Janja da Silva, por ter reduzido a participação de mulheres no alto escalão.

“O dia da mulher é o ano inteiro, mas a gente tem que aproveitar o mês de março e fazer nossos apelos e dizer que chegar à representação feminina, presidente, que o senhor está nos dando a oportunidade, em cargos de poder ainda não é o adequado, o que a gente quer é a paridade. Mas são grandes oportunidades para nós, para contribuir com um Brasil melhor”, disse a ministra na abertura de sua fala.

No evento sobre o programa de obras, às vésperas do Dia Internacional das Mulheres, o Planalto deu destaque à presença de mulhers, que ocupam a primeira fila dos assentos, ao lado do presidente.

O presidente Lula fez duas trocas de ministras em 2023 para encaixar novos acordos políticos com parlamentares do Republicanos e União Brasil. Foram subistituídas Ana Moser (Esporte) e Daniela Carneiro (Turismo). Já a partir de conversas com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), o petista demitiu a presidente da Caixa, Rita Serrano. Em todas as trocas os substitutos escolhidos foram homens.

Em um café da manhã com jornalistas que o Terra participou, em outubro do ano passado, o presidente foi questionado sobre suas escolhas e disse que "nem sempre os partidos têm mulher para indicar".

Atualmente, dos 38 ministérios, apenas nove são ocupados por mulheres, são eles:

Saúde - Nisia Trindade

Planejamento e Orçamento - Simone Tebet

Gestão e Inovação em Serviços Públicos - Esther Dweck

Ciência e Tecnologia - Luciana Santos

Mulheres - Cida Gonçalves

Meio Ambiente e Mudança do Clima - Marina Silva

Povos Indigenas - Sonia Guajajara

Igualdade Racial - Anielle Franco

Cultura - Margareth Menezes

Fonte: Guilherme Mazieiro Guilherme Mazieiro é repórter e cobre política em Brasília (DF). Já trabalhou nas redações de O Estado de S. Paulo, EPTV/Globo Campinas, UOL e The Intercept Brasil. Formado em jornalismo na Puc-Campinas, com especialização em Gestão Pública e Governo na Unicamp. As opiniões do colunista não representam a visão do Terra. 
Compartilhar
Publicidade
Publicidade