0

Futura primeira-dama usa camiseta com recado de juíza a Lula

'Se começar nesse tom comigo, a gente vai ter problema', diz frase estampada na roupa de Michelle Bolsonaro, que desembarcou em praia no Rio

26 dez 2018
12h23
atualizado às 12h44
  • separator
  • 0
  • comentários

RIO - A futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro, desembarcou em Itacuruça carregando o cachorro da família e vestindo uma camiseta com a frase que a juíza Gabriela Hardt disse ao ex-presidente Lula em seu primeiro depoimento na Justiça de Curitiba após Sérgio Moro deixar o caso para assumir um ministério no novo governo: "Se começar nesse tom comigo, a gente vai ter problema". Michelle e as duas filhas estão voltando para o Rio de carro, depois de passar o Natal com o presidente eleito, Jair Bolsonaro, na Ilha da Marambaia, uma área de treinamento da Marinha, na Baía de Ilha Grande.

A futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro, desembarca no Iate Clube Itacuruçá, em Itacuruçá, litoral sul do Fluminense, para seguir para a cidade do Rio de Janeiro.
A futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro, desembarca no Iate Clube Itacuruçá, em Itacuruçá, litoral sul do Fluminense, para seguir para a cidade do Rio de Janeiro.
Foto: FÁBIO MOTTA / Estadão

A família tem demonstrando incômodo com a cobertura da imprensa. Desde ontem, Carlos Bolsonaro, que costuma atuar como porta-voz informal nas redes sociais, publicou uma série de tweets reclamando da exploração na mídia de imagens que estão sendo divulgadas por seus próprios assessores. "Sempre foi assim! Tentam a todo o custo desconstruí-lo como se estivesse forçando uma imagem. Digo tranquilamente: ou vivem em uma bolha ou são simplesmente canalha!", publicou ontem ao lado de uma foto de Bolsonaro sentado no chão do cais da ilha.

Nos quatro dias na Marambaia, local usado pelos últimos quatro presidentes da República para férias, a assessoria de Bolsonaro divulgou fotos do presidente eleito lavando roupas, conversando com moradores e visitantes da ilha e até participando de uma cerimônia informal de promoção de um oficial da Marinha. A rotina do restante da família na ilha não foi informada.

Por outro lado, a última entrevista de Bolsonaro aconteceu há dez dias. Foi em um domingo, quando saiu para tomar coco e voltou a dizer que "pagaria" caso o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) identificasse algo errada nas transações de Fabrício Queiroz, ex-assessor de seu filho e senador eleito Flávio Bolsonaro. Ele não falou com jornalistas diretamente em nenhum dos eventos recentes em que participou, como a reunião com futuros ministros.

Desde que as notícias sobre o relatório do Coaf sobre movimentaçoes atípicas de Flávio vazaram, inclusive sobre depósitos de R$ 24 mil na conta da futura primeira dama, a família aumentou ainda mais as restrições a contatos com jornalistas. Na Marambaia, o limite de aproximação da imprensa da ilha é de dois quilômetros.

A escolta com quatro carros saiu de Itacuruça por volta das 10h40. Bolsonaro permanece na Ilha até amanhã, acompanhado do vereador Carlos Bolsonaro, que chegou com ele no sábado. Mais cedo, de acordo com a assessoria, um helicóptero seguiu para a ilha levando outro de seus quatro filhos, o deputado federal Eduardo Bolsonaro. A previsão é que a família viagem para Brasília no sábado, 29.

Veja também:

 

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade