PUBLICIDADE

Ex-assessora de Marielle Franco recebe ameaça de morte

No Facebook, homem disse que Renata Souza 'vai perder a linguinha' e que a ex-vereadora morreu por falar demais

21 dez 2020
13h03 atualizado às 13h38
0comentários
13h03 atualizado às 13h38
Publicidade

RIO - A deputada estadual Renata Souza (Psol), candidata à prefeitura do Rio na última eleição, registrou ocorrência na manhã desta segunda-feira, 21, após receber ameaças nas redes sociais. No Facebook, um homem comentou que ela "falava demais" e que iria "perder a linguinha" por causa disso. Também disse que a vereadora Marielle Franco, de quem Renata foi chefe de gabinete, teria morrido pelo mesmo motivo.

A parlamentar - que, assim como Marielle, é criada no Complexo da Maré - foi à Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática fazer o registro do caso. Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa (Alerj), Renata é mais uma mulher negra a sofrer ameaças de morte nas redes sociais. No Estado, o mesmo já ocorreu com a deputada federal Talíria Petrone (Psol-RJ), que precisou se mudar do Rio.

A candidata pelo PSOL à prefeitura do Rio de Janeiro, Renata Souza
A candidata pelo PSOL à prefeitura do Rio de Janeiro, Renata Souza
Foto: Reprodução/Facebook / Estadão Conteúdo

Após as últimas eleições municipais, houve outros relatos parecidos País afora. Como mostrou o Estadão, investigações apontam para uma ação coordenada voltada para ameaças de cunho racista, machista e homofóbico. Para apurar esses relatos, pelos menos três Estados e órgãos internacionais, como a Interpol, trabalham de modo integrado.

No boletim de ocorrência desta segunda, Renata elenca ainda outras ameaças recebidas durante o ano nas redes sociais. "Espero que as forças policiais investiguem esses criminosos. Já mataram Marielle, não posso subestimar qualquer ameaça e espero que nenhuma instituição democrática a subestime. Não vão nos calar", disse a deputada. "Em plena democracia, não é possível que uma parlamentar tenha as suas atividades cerceadas e intimidadas."

Estadão
Publicidade
Publicidade