1 evento ao vivo

Resumo das Eleições 2018: Ciro 'quer morrer' em segundo turno entre PT e Bolsonaro

Meirelles doa R$ 20 milhões para própria campanha e Marina é contra Lula em pesquisas eleitorais; veja destaques desta quarta-feira (22)

22 ago 2018
17h33
atualizado às 17h48
  • separator
  • comentários

De segunda à sexta, o Estado publicará resumos com as principais notícias sobre as campanhas e o dia dos candidatos nas eleições 2018.

Confira abaixo os destaques desta quarta-feira, 22:

2º turno entre Bolsonaro e PT: 'Pode morrer?'

Ciro Gomes brincou com jornalistas após ser perguntado sobre qual seria sua posição em um eventual segundo turno entre o PT e Jair Bolsonaro nas eleições 2018. "Pode morrer?", perguntou o candidato do PDT à Presidência da República, que cumpriu agenda em Osasco (SP) nesta quarta-feira, 22.

Bolsonaro perde no 2º turno

Nas simulações de segundo turno realizadas pelo Datafolha em pesquisa divulgada nesta quarta, 22, Bolsonaro perderia para Marina Silva, Ciro Gomes e Geraldo Alckmin. De acordo com o levantamento, o deputado venceria Fernando Haddad, atual candidato a vice na chapa do PT e provável substituto de Luiz Inácio Lula da Silva no caso de impedimento do ex-presidente pela Lei da Ficha Limpa.

Sem ponto eletrônico

Bolsonaro não usou ponto eletrônico no debate da RedeTV!, realizado na última sexta-feira, 17. De acordo com checagem publicada pelo Projeto Comprova, um vídeo que mostrava o presidenciável do PSL recebendo mensagens pelo suposto aparelho é uma montagem satírica.

Insegurança para Bolsonaro

Nesta quarta-feira, 22, o ministro do STF Marco Aurélio Mello declarou que a possibilidade de réus em ação penal serem eleitos e assumirem a Presidência da República é uma questão "em aberto". Para o ministro, a dúvida gera insegurança para a candidatura de Bolsonaro.

No dia 4 de setembro, o Supremo decidirá se recebe uma denúncia da Procuradoria-Geral da República contra o candidato do PSL pelo crime de racismo. O deputado já é réu no STF por incitação ao crime de estupro.

Pior tucano desde FHC

Desde que Fernando Henrique Cardoso concorreu à Presidência em 1994, Geraldo Alckmin é o único candidato do PSDB ao Planalto que não conseguiu atingir um número de dois dígitos na primeira pesquisa eleitoral após o início oficial da campanha. para ler a análise completa de Daniel Bramatti.

Marina é contra Lula em pesquisas

Em passagem pelo Recife, Marina Silva disse que incluir o nome do ex-presidente Lula nas pesquisas de intenção de voto "fragiliza muito o processo de decisão dos eleitores".

"A lei deve ser observada por todos. Ninguém está acima da lei numa democracia e não se pode ter dois pesos e duas medidas. Estamos em um processo eleitoral, faltando poucos dias para a finalização desse processo, e ainda temos uma situação que fragiliza muito a decisão dos eleitores", disse a candidata da Rede.

No levantamento Ibope/ Estado/ TV Globo sobre a corrida presidencial, Marina dobra seus índices no cenário sem Lula.

Lula apresenta certidão criminal

A defesa de Lula apresentou a certidão criminal da Justiça Estadual de 1ª instância de São Paulo ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na noite desta terça-feira, 21. O documento não havia sido protocolado quando a candidatura do ex-presidente foi registrada.

Fake News podem anular candidatura

O ministro do STF Luiz Fux voltou a afirmar nesta quarta-feira, 22, que candidaturas podem ser anuladas por conta da disseminação de notificas falsas.

"Com relação à tutela do campo eleitoral em si, nós temos o direito de resposta, que tem muita eficiência, nós temos multas, temos a cassação de diplomas e nós temos uma previsão que está expressa no artigo 222 do Código Eleitoral, no sentido de que se houver a comprovação de que uma candidatura se calcou preponderantemente em fake news, essa candidatura pode ser anulada", disse Fux.

Meirelles doa R$ 20 milhões para própria campanha

Em transferência eletrônica realizada na última segunda-feira, 20, Henrique Meirelles doou R$ 20 milhões para sua própria campanha à Presidência. O ex-ministro da Fazenda é o quinto candidato mais rico das eleições 2018.

Candidatos declararam R$ 304 mi em dinheiro

A reportagem do Estado tabulou dados da Justiça Eleitoral e verificou que os candidatos das eleições 2018 declararam o montante de R$ 304 milhões em dinheiro vivo. O valor nominal é R$ 3 milhões superior ao total declarado em 2014. para ler a matéria completa.

Estadão
  • separator
  • comentários
publicidade