PUBLICIDADE

Deputados pedem cassação de Douglas Garcia na Assembleia de SP após ofensas a jornalista

Emídio de Souza e Paulo Fiorilo, do PT, alegam que parlamentar apoiador de Tarcísio de Freitas e Bolsonaro quebrou decoro parlamentar ao hostilizar Vera Magalhães nos bastidores do debate da TV Cultura

14 set 2022 - 12h37
(atualizado às 12h51)
Compartilhar
Exibir comentários
‘Não me arrependo de absolutamente nada do que fiz’, disse deputado estadual apoiador de Bolsonaro em vídeo publicado nas redes sociais
‘Não me arrependo de absolutamente nada do que fiz’, disse deputado estadual apoiador de Bolsonaro em vídeo publicado nas redes sociais
Foto: Reprodução/Instagram

Os deputados estaduais Emídio de Souza (PT-SP) e Paulo Fiorilo (PT-SP) protocolaram um pedido de cassação do mandato de Douglas Garcia (Republicanos-SP) na Assembleia Legislativa de SP. O pedido ocorre após Garcia hostilizar a jornalista Vera Magalhães na noite de terça-feira, 13, nos bastidores da TV Cultura.

De forma truculenta, o deputado estadual abordou Vera no final do debate ao governo do Estado de São Paulo e afirmou que ela era "uma vergonha para o jornalismo brasileiro", ecoando a fala do presidente Jair Bolsonaro (PL) no primeiro debate presidencial da campanha, na Band TV, ocorrido no dia 28 de agosto.

Nas redes sociais, Souza e Fiorilo comentaram o caso. "Basta! Vamos por fim a esse tipo de agressão covarde que nossa sociedade não pode mais tolerar", disse Souza. "Nojo desse tipo de pessoa que se esconde na imunidade parlamentar para intimidar e agredir", afirmou Fiorilo.

O ex-prefeito e candidato ao governo de São Paulo, Fernando Haddad (PT), também cobrou a cassação em suas redes sociais. "Deputado que agride ou assedia jornalista deve ser cassado por falta de decoro. Vamos transformar a Assembleia Legislativa de SP em território livre da misoginia", afirmou o petista em seu perfil no Twitter.

O ocorrido na noite de terça-feira, no entanto, está longe de ser a primeira polêmica de Douglas Garcia. O parlamentar bolsonarista foi condenado por vazar dados pessoais de opositores, teve seu mandato suspenso por veicular informações falsas e foi advertido pelo Conselho de Ética da Alesp após fazer declarações transfóbicas.

Seu convidado no debate de ontem, o candidato ao governo de São Paulo Tarcísio de Freitas (Republicanos) condenou as falas de Garcia e afirmou, em suas redes sociais, que "essa é uma atitude incompatível com a democracia e não condiz com o que defendemos em relação ao trabalho da imprensa".

O próprio Douglas Garcia postou um vídeo no qual pede desculpas a Tarcísio pelo ocorrido, mas não à jornalista Vera Magalhães. "Não me arrependo de absolutamente nada do que fiz hoje. Se é para pedir desculpas para alguém, não é para jornalista nenhum. Tenho que pedir desculpas ao Tarcísio. Eu sou adulto, Tarcísio é adulto, nós sabemos que essa questão de responsabilidade conjunta é uma coisa que a imprensa tenta incutir nas cabeças das pessoas", afirma o deputado no vídeo.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade