PUBLICIDADE

Ciro Gomes diz que PSB e Centrão são 'namorados difíceis'

Em entrevista, o presidenciável acenou para o governador Márcio França (PSB) e afirmou que está recebendo gestos de DEM, PP e Solidariedade

5 jul 2018 19h28
| atualizado às 19h43
ver comentários
Publicidade

Pré-candidato à Presidência pelo PDT nas eleições 2018, o ex-ministro Ciro Gomes disse nesta quinta-feira (5) que o PSB e os partidos do chamado "centrão", com quem busca uma aliança eleitoral, são "namoradas difíceis". Em entrevista à TV Preve, em Bauru, no interior paulista, o presidenciável acenou para o governador Márcio França (PSB) e afirmou que está recebendo gestos de DEM, PP e Solidariedade.

O pré-candidato ao Planalto pelo PDT, Ciro Gomes
O pré-candidato ao Planalto pelo PDT, Ciro Gomes
Foto: Adriano Machado/File photo / Reuters

"Eu estou namorando, assim com muito empenho, e são namoradas difíceis, eu compreendo", disse Ciro, antes de citar os partidos que busca para uma aliança. Ao falar do PSB, ele declarou que o governador paulista, Márcio França, é uma "figura absolutamente extraordinária, político humilde, habilidoso e extraordinário administrador". Ele lembrou que o PSB se posiciona, no momento, como "independente" e que Alckmin também está "namorando" o partido.

"E o outro lado também está me dando sinais, aquilo que se convencionou chamar de centrão", disse Ciro, citando PP, DEM e Solidariedade. O pré-candidato não citou o PRB, que também faz parte do bloco, em seu "namoro". O comando da legenda, mesmo não vetando totalmente uma aliança com Ciro, resiste a apoiar o pré-candidato do PDT.

Na mesma entrevista, Ciro afirmou que "ninguém no mundo político tem a menor crença" de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso pela Operação Lava Jato, vai ser candidato ao Planalto. Para o pedetista, o PT "fica agitando essa possibilidade", repetindo que sua responsabilidade cresce com a ausência do petista na disputa.

Estadão
Publicidade
Publicidade