2 eventos ao vivo

Bolsonaro diz que imprensa tirou contexto de sua fala

Candidato do PSL diz que 'esquecerem de dizer' que foi ele quem levou uma facada

10 out 2018
17h53
atualizado às 18h01
  • separator
  • comentários

O candidato do PSL à Presidência nas eleições 2018, Jair Bolsonaro, disse nesta quarta-feira, 10, que sua fala sobre o assassinato que ocorreu na Bahia após a eleição de domingo foi tirada do contexto. Ele havia dito, na terça-feira, que "não tem controle" sobre seus simpatizantes e que não tinha relação com episódios de violência.

"Esqueceram que quem levou uma facada por motivações políticas fui eu. Essa desinformação está a serviço de quem?", afirmou o candidato nesta quarta-feira nas redes sociais.

No domingo, o mestre de capoeira Romualdo Rosário da Costa, de 63 anos, conhecido como Moa do Katendê, foi assassinado a facadas em Salvador. Em depoimento à polícia, o barbeiro Paulo Sérgio Ferreira de Santana, de 36 anos, autor confesso do crime, admitiu que uma discussão política foi a motivação do crime que ele cometeu.

O candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, concede entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo
O candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, concede entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo
Foto: TV Globo/Reprodução / Estadão Conteúdo

Uma discussão entre Paulo Sérgio, que votou e defendeu o candidato do PSL Jair Bolsonaro à Presidência, e o dono do bar, apoiador de Fernando Haddad (PT), foi o estopim para o fato.

Na terça, durante a entrevista, um repórter questionou Bolsonaro com a seguinte pergunta: 'Como o senhor vê esses atos de violência que têm sido cometidos em nome ou opoio do senhor?"

Bolsonaro respondeu: "A pergunta deveria ser invertida. Quem levou a facada fui eu. Se um cara lá que tem uma camisa minha comete um excesso, o que tem a ver comigo? Eu lamento, e peço ao pessoal que não pratique isso, mas eu não tenho controle. A violência e a intolerância vêm do outro lado e eu sou a prova disso", afirmou.

Na terça, ao publicar uma reportagem sobre a entrevista, o Estado publicou a frase completa do candidato.

Haddad diz que Bolsonaro estimula violência

O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, acusou o adversário na disputa de segundo turno da eleição, Jair Bolsonaro, de estimular casos de violência no País. "Dizer que não pode responder pelos atos de correligionários é como alguém que tem cachorro bravo, solta da coleira e diz que não pode responder pelas ações do animal", declarou Haddad, nesta quarta-feira, 10, em ato com sindicalistas na capital paulista.

Para o candidato petista, a candidatura de Bolsonaro "é como se a história estivesse dando marcha ré". Haddad declarou ainda que o adversário entra em contradição ao dizer que vai aumentar a oferta de serviços públicos e ao mesmo tempo defender medidas do governo Michel Temer.

Estadão Conteúdo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade