PUBLICIDADE

Personalização do ensino exigirá Inteligência Artificial

Para a Unesco, IA poderá acompanhar a progressão dos alunos, seja em atividades individuais ou em grupo

1 abr 2022 15h10
ver comentários
Publicidade

Um curso literalmente para chamar de seu: considera interesses, gostos, dificuldades e até estado de ânimo para que você aprenda da forma mais confortável e efetiva possível. "É como se a população tivesse a mesma oportunidade que os nobres tinham no passado, e alguns ainda têm, de ter tutores para seus filhos", compara Marcelo Succi, professor de novas tecnologias nos cursos de Engenharia, Administração e Design na FAAP.

Succi se refere à aprendizagem personalizada, vitrine do uso de IA na educação. No documento "Inteligência artificial na educação: mudanças e oportunidades para um desenvolvimento sustentável", a Unesco menciona dois campos nos quais a inteligência artificial pode dar contribuições significativas: a personalização da aprendizagem e sistemas de gestão escolar. No primeiro segmento, a inteligência artificial poderá acompanhar a progressão dos alunos, seja em atividades individuais ou em grupo. As ações podem ser monitoradas, com detecções de falhas de aprendizado e até a percepção do estado de ânimo dos estudantes.

Com o aprendizado de máquina resultante dos dados produzidos pelos estudantes, a inteligência artificial poderá auxiliar em diagnósticos precisos e indicar as trilhas de aprendizagem mais afins a cada estudante, desde a educação infantil até a pós-graduação.

Para os professores, a tecnologia pode assumir o papel de assistente virtual, ao gerar relatórios sobre a progressão das turmas ou responder dúvidas que se repetem com frequência, o que libera tempo para o educador dedicar mais à tutoria dos estudantes.

"Poderemos ter um feedback imediato, que afere melhor a aprendizagem em relação às avaliações periódicas - essas provocam uma ansiedade que muitas vezes atrapalha o resultado. Também se vislumbram cursos sem testes ou provas formais, de forma que o estudante nem perceba que está sendo avaliado", explica Succi.

Já nos sistemas de gestão escolar, a inteligência artificial poderá, entre outras coisas, automatizar a produção de relatórios e sugerir insights e abordagens sobre assuntos como evasão escolar e atualização curricular. Mas é preciso atuar com responsabilidade e compromisso social. Por mais promissores que sejam os avanços tecnológicos, não se pode esquecer que o atual sistema educacional é fincado na desigualdade. A implementação das novas ferramentas deve partir da premissa de buscar a equidade e não ampliar o fosso.

Nesse contexto, o próprio relatório da Unesco cita seis medidas fundamentais, que seriam: políticas públicas abrangentes para o desenvolvimento sustentável; inclusão e equidade na educação; preparação dos educadores e sistemas que atendam às demandas educacionais; desenvolvimento de sistemas de dados inclusivos; pesquisas significativas sobre IA em educação; e ética e transparência na obtenção, aplicação e divulgação de dados.

Na mira dos grandes

Ações para promover a inteligência artificial e o futuro tecnológico na educação estão na pauta também de gigantes na área da tecnologia. A Amazon Web Services - AWS, plataforma de serviços de computação em nuvem ligada à Amazon, já fornece soluções como gestão de dados para edtechs e grupos educacionais como Ânima e Cogna. Atualmente, a empresa oferece programas de capacitação voltados a iniciativas de ensino digital.

Dentre os projetos, há o AWS EdStart, aceleradora de startups de tecnologia educacional que visa a ajudar empreendedores a construir a próxima geração de soluções de aprendizado online, análise e gerenciamento de câmpus em nuvem. A proposta inclui treinamento técnico e suporte, além de acesso a uma comunidade global de especialistas em EdTech. "Além de inteligência artificial, recursos como analytics, segurança cibernética, cloud computing são exemplos nos quais profissionais dos mais diversos campos deverão estar alinhados", comenta Paulo Cunha, diretor geral para o Setor Público da Amazon Web Services (AWS) no Brasil.

Estadão
Publicidade
Publicidade