PUBLICIDADE

Pais que criam crianças bem sucedidas nunca usam essas 5 frases

Veja as dicas da renomada psicólaga infantil e escritora Tovah Klein para evitar situações ruins

22 abr 2023 - 06h00
(atualizado em 24/4/2023 às 18h45)
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Adobe Stock

A linguagem é importante quando você está falando com crianças ― especialmente no calor de algum momento mais tenso. Quando uma criança está se comportando mal ou tendo um acesso de raiva, é fácil falar o que você acha que pode fazê-las se acalmar e se comportar. Mas certas frases comuns podem "envergonhar" a criança e causar danos duradouros à sua autoestima, diz a Tovah Klein, psicóloga infantil e autora do livro "How Toddlers Thrive" (“Como as Crianças Pequenas Prosperam”). 

Qualquer frase que pareça culpar a criança por um comportamento ou uma emoção que eles estão sentindo é um problema, diz Klein, que também é diretora do Centro de Desenvolvimento Infantil da Barnard College. A Barnard é uma faculdade feminina de graduação da Universidade de Columbia.

"A vergonha pode realmente ser um elemento tóxico para uma criança pequena, porque eles carregam com eles: 'Eu não devo ser muito bom. Eu não deveria tentar isso'", diz Klein à CNBC Make It. "Isso se torna realmente uma sensação de duvidar de si mesmos. É como uma fraqueza."

5 frases que você nunca deve dizer aos seus filhos

Quando as crianças são envergonhadas por seus pais, as pessoas cujo amor e opiniões importam mais para elas, sua confiança e motivação diminuem, mostram pesquisas. Isso os torna menos propensos a tentar coisas novas e assumir novos desafios, traços que eles precisam para ter sucesso mais tarde na vida.

Na maioria das vezes, os pais não querem envergonhar seus filhos, diz Klein. Isso pode se manifestar como um suspiro exagerado ou revirar os olhos, e um comentário sarcástico como:

  • • "Você está de mau humor de novo. Você sempre está de mau humor."
  • • "Por que você sempre fica chateado quando isso acontece?"
  • • "Você realmente precisava fazer isso [comportamento negativo] de novo?"
  • • "Isso é ridículo!"
  • • "Você está exagerando."

“Geralmente, isso é apenas um sinal de frustração”, diz Klein. Talvez seu filho esteja brigando com o irmão novamente, fingindo de repente que não ouve seus pedidos ou se recusando a fazer algo que normalmente não se importa.

"Você acha que tem um filho muito doce, o que é verdade na maioria das vezes", diz Klein. "E então seu filho simplesmente não quer fazer alguma coisa ― eles não querem sair para jantar com a avó e o avô e estão andando pela casa, por exemplo."

Rebaixar seu filho por causa de seu mau humor e cara emburrada "faz a criança se sentir terrível" e faz com que ela se pergunte se algo está permanentemente errado com ela, diz Klein. 

O que você pode dizer em vez disso

Primeiramente, você sempre pode dar um passo atrás e respirar fundo antes de dizer qualquer coisa, diz Klein. Pergunte a si mesmo: "O que está acontecendo comigo, que estou com raiva e desapontado com meu filho?"

Lembre-se de que as crianças, como os adultos, são "feitas para passar por uma variedade de sentimentos, alguns positivos e muitos negativos", diz Klein. Em seguida, escolha respostas que mostrem empatia ao seu filho até que seu mau humor inevitavelmente passe.

Aqui estão quatro exemplos, segundo Klein:

  • • "Você não quer fazer isso agora, eEu entendo. Mas, sim, temos que ir."
  • • "Se isso é difícil, eu vou te ajudar."
  • • "Eu gostaria que pudéssemos fazer isso."
  • • "Você quer ir lá fora? Eu entendo. Infelizmente, não podemos agora."

Reconheça a decepção deles antes de seguir em frente e ser firme sobre o que precisa acontecer, informando-os que você não está abandonando planos apenas porque eles estão momentaneamente de mau humor. Você não precisa "falar demais", afirma Klein: "Mas um pouco de empatia ajuda."

Ignorar sim, mas com respeito

Em algumas situações, você também pode praticar "ignorar com respeito" uma criança que está agindo de forma desafiadora, acrescenta Klein: em vez de rejeitar ou ignorar o comportamento, espere calmamente que ele passe. Diga algo como: "Eu só vou preparar nossas coisas. Voltarei e te pegarei mais tarde."

Se você perder a paciência e dizer algo que se arrependa, precisará reconhecer seu erro para restabelecer a confiança com seu filho. "Você os torna menos receosos ao dizer: 'Isso é difícil. Eu gritei, e você ficou chateado, mas agora está tudo bem'", finaliza Klein.

(*) HOMEWORK inspira transformação no mundo do trabalho, nos negócios, na sociedade. É criação da COMPASSO, agência de conteúdo e conexão.

Homework Homework
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade