PUBLICIDADE

Liberdade de Imprensa: os países que mais sofrem com a censura

5 países proíbem a liberdade de imprensa, mesmo ela sendo um direito dos profissionais da notícia. Veja quais são

7 jun 2024 - 19h00
(atualizado às 19h06)
Compartilhar
Exibir comentários

A liberdade de imprensa é um direito básico - no Brasil, assegurado pela própria Constituição. Jornalistas e veículos de comunicação devem ser livres para reportar fatos e opiniões sem a interferência do Estado. Em alguns países, no entanto, há a prática da censura por parte do governo, que restringe ou anula a circulação de canais informativos. Nesses casos, há uma verdadeira caça aos profissionais da imprensa - que pode evoluir a prisões ou até mesmo assassinatos.

Foto: Freepik/Reprodução / Guia do Estudante

O controle da mídia, a proibição do jornalismo independente, e o fechamento abrupto de veículos são algumas das ações mais comuns. Um levantamento do Repórter Sem Fronteiras, uma organização internacional que atua pela liberdade e pluralismo do jornalismo no mundo, listou os países que mais sofrem com a censura atualmente. Confira abaixo um resumo do cenário dos cinco primeiros colocados.

+ O que um jornalista faz?

5º Lugar - Irã

O Irã se tornou uma ameça à liberdade de imprensa. A perseguição à imprensa se intensificou principalmente após o assassinato de Mahsa Amini, jovem que ficou famosa por se opor ao traje tradicional muçulmano. No país, a crise econômica e a corrupção também prejudicaram a imprensa local, com o fechamento de veículos e o consequente desemprego dos jornalistas.

O líder supremo, Ali Khamenei, acusa a mídia independente de ser influenciada pelas grandes potências mundiais. O regime islâmico controla a mídia e reprime jornalistas com prisões arbitrárias, que podem levar à  pena de morte. Dentro do levantamento, o Irã detém o maior número de jornalistas presos atualmente, 23.

+ Israel e Irã, quatro décadas de tensão permanente

4º Lugar - Coreia do Norte

A Coreia do Norte controla todas as notícias e proíbe o jornalismo independente. A Agência Central de Imprensa é a única fonte de informação autorizada por Kim Jong-un, líder do país que chega a supervisionar pessoalmente as notícias. Atualmente, não há jornalistas presos no país - um status alçando muito provavelmente pela própria rigidez das leis em torno da imprensa.

Lá, toda notícia criada precisa exaltar o país. O acesso a informações externas pode levar à punição - incluindo o envio do cidadão a campos de concentração. Na Coreia do Norte, não apenas notícias externas são proibidas, como também o consumo de cultura de outros países, principalmente da sua rival, Coreia do Sul.

+ Kpop no Enem 2023? Entenda a história conflituosa das duas Coreias

3º Lugar - Afeganistão

No Afeganistão, desde a chegada do talibã ao poder em 2021, a liberdade de imprensa tem sido severamente restringida. Muitos meios de comunicação foram fechados, e a repressão contra jornalistas aumentou drasticamente - sobretudo, entre as mulheres.

Os talibãs controlam informações, impondo regras como a proibição de músicas nas rádios e a exigência de que apresentadoras de TV cubram o rosto. É proibido criticar o regime na mídia. Atualmente há dois jornalistas presos.

+ Talibã: linha do tempo com os principais fatos do grupo extremista

2º Lugar - Síria

Na Síria, o acesso dos jornalistas é restrito em algumas regiões do país. A mídia do governo divulga propaganda estatal, enquanto a imprensa independente, ou de oposição, opera majoritariamente no exílio. No país, existem leis como a de Cibercriminalidade, que punem os jornalistas que divulgam notícias prejudiciais à imagem da Síria.

Para evitar prisões ou abusos, muitos profissionais foram forçados a fugir do país. Um mapa do Repórter Sem Fronteiras mostra os locais para onde os exilados vão após à fuga. Atualmente, 24 jornalistas estão presos.

+ Guerra da Síria: entenda as causas e a atual situação do conflito

1º Lugar - Eritreia

A Eritreia é um país africano onde toda a mídia independente foi banida, desde 2001. A informação é totalmente controlada pelo governo - assim como na Coreia do Norte -, que funciona sob  regime do presidente Issaias Afeworki.

Há casos de jornalistas que estão presos há décadas, aguardando julgamento, como o sueco-eritreu Dawit Isaak, detido desde 2001. No momento, há 10 jornalistas sem liberdade.

+ África é o continente mais afetado por desastres naturais

Entre no canal do GUIA no WhatsApp e receba conteúdos de estudo, redação e atualidades no seu celular!

Guia do Estudante
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade