PUBLICIDADE

Universidades do RJ discutem calendário do 2º semestre

Resolução aprovada recentemente também prevê que os estudantes participem da definição do calendário de reposição de aulas

22 jul 2015 17h30
ver comentários
Publicidade

No próximo dia 5 de agosto, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) vai discutir possíveis mudanças no calendário, em uma reunião do Conselho de Ensino de Graduação. As alterações se devem à greve de professores, inciada no último dia 23 de junho, e a de técnicos e alunos, que começou em 29 de maio. Na Universidade Federal Fluminense (UFF), a reitoria já anunciou que vai encaminhar propostas de adequação ao conselho da universidade.

Siga Terra Educação no Twitter
Siga Terra Notícias no Twitter
 

Em sessão ordinária feita nesta quarta-feira (22), o conselho da UFRJ recomendou que cada unidade acadêmica avalie internamente o seu calendário, para que se possa ter um cenário completo da universidade.

Na última reunião do Conselho Universitário (Consuni), no último dia 25, a UFRJ aprovou uma série de medidas para reduzir os prejuízos à comunidade acadêmica. Entre elas está a execução de provas de segunda chamada após o fim da greve estudantil e a extensão do prazo para registrar notas.

A resolução aprovada no Consuni também determina que os estudantes participem da definição do calendário de reposição de aulas, que deve ser programado em cada unidade e departamento. Outra garantia da resolução é a manutenção do pagamento de bolsas durante a greve estudantil.

Medidas semelhantes estão sendo discutidas na  Universidade Federal Fluminense (UFF). Na última segunda-feira (20), a reitoria da UFF anunciou que iria propor ao seu conselho educacional a formação de uma comissão para elaborar uma proposta de reposição das aulas após a greve. Além disso, a reitoria sugere que o início do segundo semestre de aulas seja depois da greve e recomenda a garantia da matrícula dos alunos aprovados pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e da colação de grau dos formandos do primeiro semestre de 2015.

Para a presidenta da Associação de Docentes da UFF, Renata Vereza, a proposta é positiva. "É um avanço. Atende a grande parte das nossas demandas em relação ao calendário", disse, acrescentando que é  preciso garantir que a reposição de aulas seja integral e de qualidade. 

O que você precisa saber para começar o seu dia (22/07):

 

Agência Brasil Agência Brasil
Publicidade
Publicidade