Como se preparar para a prova de Redação do Enem?

Restam apenas sete meses para o exame, que será realizado nos dias 3 e 10 de novembro; confira as dicas para uma Redação nota 1.000

26 abr 2019
09h11
atualizado às 10h49
  • separator
  • comentários

SÃO PAULO - Faltando sete meses para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), estudantes que farão a maior prova do País enfrentam dúvidas sobre como se preparar para o teste de Redação. Diante de possíveis mudanças, faz sentido se preparar da mesma maneira como nos anos anteriores?

Para responder a questão, o Estado ouviu coordenadores de cursinhos em São Paulo. Na opinião deles, a prova de Redação não deve ter mudanças significativas, ao menos este ano. Por isso, os cursinhos pré-vestibulares continuam seguindo o padrão de preparação dos anos anteriores, com modelo de prova de redação que está consagrado e que engloba temas sociais, políticos, culturais e econômicos.

"A gente não pode ficar apostando como se fosse uma loteria, até porque isso geraria muita instabilidade para os alunos. Temos falado para os alunos aguardarem. Eles precisam saber o conteúdo, ter bagagem", disse o coordenador do Curso Poliedro, Vinicius de Carvalho Haidar.

Aluna olha caderno de questões do Enem
Aluna olha caderno de questões do Enem
Foto: Ananda Migliano / Futura Press

Para o coordenador de Linguagens do Anglo Vestibulares, Sérgio de Lima Paganim, não há tempo hábil para que aconteçam mudanças de análises e de correções das redações para o Enem 2019.

De acordo com ele, é muito difícil mudanças às vésperas do exame sobre a proposta de intervenção da redação que vale 200 pontos, ou seja um quinto da nota, e que é muito específico do Enem. Para o professor, as discussões a respeito de direitos humanos são o ponto nevrálgico da conversa.

"A gente acredita que questões ligadas aos direitos humanos provavelmente serão mantidas como um princípio de prova, mas talvez toquem em assuntos menos polêmicos. Talvez não se toque mais em questões sobre sexismo e costumes, mas a gente não aposta que vai haver grande mudança nessa perspectiva de como a prova do Enem é organizada", explica Paganim.

Neste ano, o Enem será realizado nos dias 3 e 10 de novembro.

Dicas para tirar nota mil na redação do Enem

  • Preparar repertório de textos dissertativos argumentativos;
  • Verificar redações nota mil comentadas pela banca que são publicadas no site do Inep;
  • Ter planejamento e organização nos estudos;
  • Investir em repertório sócio cultural;
  • Ficar atento aos assuntos da atualidade;
  • Treinar textos com base em propostas e com apoio de feedback;
  • Refazer as redações do Enem de outros anos;
  • Treinar a organização do texto(estrutura, opinião e fechamento);
  • Fazer ao menos dois simulados antes de realizar o Enem;
  • Treinar o tempo de prova;

Como é calculada a nota da Redação?

Os textos são avaliados, inicialmente, por dois examinadores, com base nas cinco competências de redação estabelecidas pela Matriz de Referência para redação. Cada um dos corretores atribui uma nota de zero a 200 para cada competência, compondo, por meio da soma das notas, uma pontuação que pode chegar a mil pontos.

Em seguida, calcula-se a nota final da redação do candidato com a média aritmética da pontuação dada pelos dois avaliadores. Vale ressaltar que, durante o processo de correção, um examinador não tem conhecimento da nota que foi atribuída pelo outro.

Se as notas atribuídas pelos corretores diferirem em mais de 100 pontos na nota total ou em mais de 80 na pontuação de qualquer uma das competências, considera-se que há uma discrepância entre as avaliações. Nesses casos, a redação é avaliada por um terceiro examinador, e a pontuação final será a média aritmética das duas notas totais mais próximas.

Contudo, se mesmo com uma terceira avaliação ainda houver discrepância na nota, o texto será avaliado por uma banca presencial composta de três professores.

Você pode zerar a redação se:

  • Fugir totalmente do tema;
  • Não seguir a estrutura dissertativo argumentativa;
  • Construir um texto com menos de oito linhas;
  • Fizer uso de impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação, como números ou sinais gráficos fora do texto;
  • Escrever o texto predominantemente em língua estrangeira;
  • Deixar a folha de redação em branco, ainda que tenha escrito na folha de rascunho.

Veja também

A surpreendente da criação do termo 'genocídio'

 

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade