0

Itália tem 16 mortos e 1.695 novos casos de coronavírus

Número de vítimas é o maior das últimas semanas

5 set 2020
12h40
atualizado às 13h09
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A Itália registrou 16 mortes pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2) nas últimas 24 horas, elevando o total de vítimas para 35.534, informou o Ministério da Saúde do país no boletim deste sábado (05).

Itália vem registrando alta no número diário de casos de Covid-19
Itália vem registrando alta no número diário de casos de Covid-19
Foto: ANSA / Ansa

A quantidade de novos casos continua alta, sendo 1.695 registrados em um dia. O dado é um pouco menor do que o registrado nesta sexta-feira (04), quando 1.733 novas infecções foram contabilizadas - um recorde desde 2 de maio.

Ao todo, são 276.338 pessoas infectadas no país desde o início da pandemia, em fevereiro. Segundo informou o Ministério, foram cerca de 107 mil testes realizados no período.

A quantidade de casos ativos - que descontam as mortes e os curados - também teve uma alta significativa, com 1.095 contaminados.

São 31.194 pessoas que lutam contra a doença na Itália, no maior número desde 8 de junho. Dessas pessoas, 121 estão em unidades de terapia intensiva e outras 1.620 estão internadas em hospitais do país. A imensa maioria, 29.453, estão cumprindo isolamento domiciliar.

Já os curados aumentaram em 583, totalizando 209.610 desde fevereiro.

Pouco antes dos números serem anunciados, o vice-ministro da Saúde, Pierpaolo Sileri, havia ressaltado que a Itália enfrenta uma "condição de crescimento, mas não é uma fase crítica", já que os hospitais "não estão sob estresse".

"Com a chegada da estação fria, acredito que veremos uma circulação mais elevada do vírus, mas o serviço sanitário nacional está apto a fazer frente. Duvido que teremos uma segunda onda epidêmica como vimos entre fevereiro e março porque aprendemos a conviver com o vírus", disse Sileri em entrevista à "La7". .
   

Veja também:

Os fatores por trás da popularidade de Jacinda Ardern, reeleita com folga premiê da Nova Zelândia
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade