1 evento ao vivo

Com aumento de casos, Johnson defende lockdown regional

Estratégia adotada do governo no verão, quando as novas infecções nacionais eram de poucas centenas por dia, foi tentar isolar surtos local

7 out 2020
11h18
atualizado às 13h11
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, disse nesta quarta-feira que as infecções de covid-19 estão aumentando em Londres e outras partes, mas que a abordagem de seu governo para controlar a disseminação do vírus ainda é a correta.

Premiê britânico, Boris Johnson
07/10/2020
REUTERS/John Sibley
Premiê britânico, Boris Johnson 07/10/2020 REUTERS/John Sibley
Foto: Reuters

"A abordagem local e regional, combinada às medidas nacionais, continua correta", disse Johnson ao Parlamento quando indagado sobre a razão de as infecções continuarem crescendo em áreas nas quais lockdowns foram adotados.

Uma análise apresentada pelo Partido Trabalhista, de oposição, ao Parlamento mostrou que as taxas de infecção aumentaram em 19 de 20 áreas da Inglaterra que estão sujeitas a medidas adicionais de lockdown.

A estratégia adotada por Johnson no verão, quando as novas infecções nacionais eram de poucas centenas por dia, foi tentar isolar surtos localizados e ao mesmo tento reativar a economia como um todo. Na terça-feira, o Reino Unido relatou mais de 15 mil infecções novas.

A análise mostrou que em Wigan, no noroeste inglês, a taxa de infecção, medida como o número de casos confirmados para cada 100 mil habitantes, aumentou 3.653% desde que um lockdown local foi imposto pela primeira vez em 30 de julho, saltando de 6 para 255.

Os aumentos em outras áreas variaram de 13% a 2.241%, revelaram dados dos trabalhistas.

Veja também:

Os fatores por trás da popularidade de Jacinda Ardern, reeleita com folga premiê da Nova Zelândia
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade