PUBLICIDADE

O clima do 5G: entendendo mais e melhor a atmosfera

As ciências atmosféricas serão uma das mais beneficiadas com a evolução da tecnologia.

13 nov 2021 21h20
ver comentários
Publicidade

A necessidade de entendimento sobre o funcionamento da atmosfera terrestre estimulou a mente de muitos físicos, matemáticos, engenheiros e computólogos. A previsão do tempo para as horas e dias seguintes está na base da motivação para a construção de super computadores, nos primórdios dos anos 1950.

As pesquisas relacionadas com a atmosfera, como a previsão do tempo e do clima envolvem uma enorme quantidade de medições que vêm das estações meteorológicas em superfície e em ar superior, dos aviões, dos navios e dos satélites.

A evolução das ciências atmosféricas está intimamente ligada com os avanços computacionais, para o processamento e armazenamento de milhões de dados diariamente. Quanto mais aprimoramos as medições, mais dados temos e mais coisas descobrimos que ainda não sabemos. 

O Brasil vai entrar no clima da tecnologia 5G nas próximas décadas e isto significa uma nova revolução e evolução na Meteorologia no país. Temos cada vez mais coisas conectadas à internet móvel. Você consegue imaginar a enorme quantidade de dados meteorológicos que poderá ser gerada em poucos minutos, com    celulares funcionando como pequenas estações meteorológicas, medindo continuamente a temperatura, a umidade, o vento? É uma massa de dados tão grande que a tecnologia que temos hoje no Brasil não teria como captar, armazenar e fazer contas com tantos dados. Pois é aí que entra o tal do 5G: maior capacidade de armazenamento e processamento de dados. 

O que muda na meteorologia com o 5G? Qual a importância da entrada do 5G para o trato com os modelos numéricos previsão de tempo e clima, por exemplo? Para começar a conversa, você sabe o que é o 5 e o G?

Para entender sobre o clima do 5G, o podcast O Clima entre Nós conversou com Gustavo "Zang" Beneduzi. Ele é meteorologista e matemático de formação, pela Universidade de São Paulo e entende muito de tecnologia. Zang é um cientista de dados e trabalha atualmente no laboratório de pesquisa e desenvolvimento da Climatempo. A área de atuação do Gustavo é a melhoria dos modelos atmosféricos.

Você vai saber de coisas interessantes e curiosas como a "falta de uma fatia" na faixa de bandas do 5G. Foi para continuar medindo o vapor d´água! 

Todos os episódios do podcast O Clima entre Nós podem ser encontrados no site da Climatempo, no nosso canal do Youtube e nos principais agregadores de podcasts.

Boa escuta!

Climatempo
Publicidade
Publicidade