2 eventos ao vivo

Problemas de logística atrasam início da vacinação nacional contra Covid-19

18 jan 2021
20h03
atualizado em 19/1/2021 às 12h15
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Problemas de logística atrasaram o plano de iniciar a vacinação contra Covid-19 nesta segunda-feira em todos os Estados e no Distrito Federal ao mesmo tempo, uma das promessas que vinham sendo feitas pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, nos últimos dias.

Início da vacinação contra Covid-19 no Rio de Janeiro
18/01/2021
REUTERS/Ricardo Moraes
Início da vacinação contra Covid-19 no Rio de Janeiro 18/01/2021 REUTERS/Ricardo Moraes
Foto: Reuters

Após o governo de São Paulo se antecipar na véspera e começar a imunização depois do aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), governadores pressionaram Pazuello para antecipar a distribuição dos dois milhões de doses da CoronaVac.

Desde a semana passada, o governo federal pretendia iniciar a vacinação apenas na quarta-feira às 10h.

Em entrevista na manhã de segunda, em evento simbólico de recebimento das doses pelo governo federal, o ministro disse que a vacinação contra Covid-19 começaria hoje "no final do dia".

"Fica combinado então que a gente distribui tudo hoje e começa (a vacinar) hoje ao final do dia, em princípio às 17h", disse o ministro ao lado dos governadores.

Contudo, até o começo da noite desta segunda a maioria dos Estados brasileiros não havia começado a vacinação. Até às 18h50, além de São Paulo na véspera, somente Goiás, Rio de Janeiro, Piauí e Santa Catarina haviam iniciado a vacinação de profissionais de saúde e idosos, ambos do primeiro grupo de prioridade para o uso emergencial.

A maioria das 27 unidades da Federação nem sequer haviam recebido o carregamento com as doses da CoronaVac. Segundo o Ministério da Saúde, até o início da noite, Tocantins, Piauí, Ceará, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Goiás e Distrito Federal já tinham doses da vacina.

Em entrevista no meio da tarde, Pazuello atribuiu o atraso na entrega das vacinas aos Estados à repentina mudança na logística para atender aos governadores.

"Nós tínhamos a previsão de fazer toda a logística hoje e os Estados fazerem a logística amanhã para os municípios e a partir daí a gente iniciar a campanha na quarta-feira", disse ele, em entrevista coletiva no Palácio do Planalto.

"Os governadores, em comum acordo, me solicitaram que eu acelerasse ao máximo a distribuição para que eles pudessem começar imediatamente ainda hoje", acrescentou.

"Então, aquilo que era planejado até hoje às 8 horas da manhã para acontecer durante o dia está sendo encurtado para poder atender o pedido dos governadores. Isso, você imagina a mudança da logística para 26 Estados num país continental como o Brasil", emendou.

Inicialmente, Pazuello previa o início da vacinação no dia 20, mas acabou por atender pedido dos governadores que defenderam que ela começasse o mais rapidamente possível.

A vacinação começou no Brasil no domingo em São Paulo, com a presença do governador paulista, João Doria (PSDB), desafeto político de Bolsonaro e provável adversário dele nas eleições presidenciais de 2022.

Veja também:

Motociclista fica ferido em batida contra automóvel no Brasília
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade