4 eventos ao vivo

Mourão : "Tem de arrumar uma solução para Maduro ir embora"

Ele negou que o Brasil tenha se precipitado ao reconhecer o líder opositor Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela

24 jan 2019
19h30
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O presidente em exercício, Hamilton Mourão, defendeu como solução para a Venezuela a saída de Nicolás Maduro do país. "Isso eu já falei várias vezes. Tem de arrumar uma solução para o Maduro ir embora, né? Embarca lá com o bandão dele para algum país aí que o receba e pronto, segue o baile, a Venezuela volta a tentar se reorganizar democraticamente", declarou Mourão ao deixar o Palácio do Planalto nesta quinta-feira, 24.

Ele negou que o Brasil tenha se precipitado ao reconhecer o líder opositor Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela. O presidente em exercício destacou que o governo brasileiro seguiu o que estava previsto com os demais países do Grupo de Lima. "As críticas vão ser sempre. Como é que dizia o Nelson Rodrigues? Toda unanimidade é burra. Então tem que ter crítica."

 O presidente da República em exercício, general Hamilton Mourão, deixa a sede da Vice-Presidência, num anexo do Palácio do Planalto, em Brasília
O presidente da República em exercício, general Hamilton Mourão, deixa a sede da Vice-Presidência, num anexo do Palácio do Planalto, em Brasília
Foto: Ernesto Rodrigues / Estadão

Questionado se o fato de Brasil e Rússia terem adotados posicionados diferentes em relação ao governo venezuelano não prejudicaria a relação dos Brics (grupo do qual os dois países fazem parte), Mourão negou. "Não, porque dissensões sobre determinados problemas sempre haverá dentro do grupo. Não há homogeneidade nas decisões."

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia manteve o reconhecimento de Maduro como líder da Venezuela. O presidente em exercício declarou ainda ser impossível prever um desfecho para a situação do país vizinho. "Aí teria de ter bola de cristal."

Veja também:

Senadora Simone Tebet (MDB-MS) defende representatividade mínima de 30% de mulheres na direção dos partidos
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade