PUBLICIDADE

Política

PL de Bolsonaro sonda Marta Suplicy para ser vice em chapa com Ricardo Nunes

Segundo assessoria de Valdemar Costa Neto, presidente do PL, negociação para que a ex-prefeita componha a chapa de Nunes está em 'estágios iniciais'

21 ago 2023 - 21h33
(atualizado às 22h25)
Compartilhar
Exibir comentários
Marta Suplicy foi prefeita de São Paulo entre 2001 e 2005
Marta Suplicy foi prefeita de São Paulo entre 2001 e 2005
Foto: ESTADAO / Estadão

BRASÍLIA - O Partido Liberal sonda o nome da ex-prefeita e secretária de Relações Internacionais da cidade de São Paulo, Marta Suplicy (sem partido), para ser a companheira de chapa do prefeito Ricardo Nunes (MDB). A informação foi veiculada inicialmente pelo portal Valor Econômico e confirmada pelo Estadão.

"O nosso apoio a Nunes não está condicionado a ter o vice na chapa. O ex-presidente Jair Bolsonaro entendeu que o nome de vice precisa ser da melhor pessoa, não do PL. São Paulo é uma cidade de centro. O que interessa para nós é que o Nunes ganhe. Marta seria uma escolha muito boa para ser vice, mesmo por outro partido", afirmou o presidente do PL, Valdemar Costa Neto ao Valor Econômico.

Procurada pelo Estadão, a assessoria do presidente do PL informou que a discussão para que Marta seja a vice-presidente da chapa de Nunes está em "sondagens iniciais". A reportagem também procurou a ex-prefeita, mas não teve retorno até o momento, o espaço segue aberto.

Marta construiu a sua carreira política no Partido dos Trabalhadores, onde se elegeu deputada federal, prefeita de São Paulo e senadora, além de ser ministra do Turismo no segundo mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e chefe da pasta de Cultura durante a primeira gestão da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Em 2015, ela rompeu com a esquerda política ao apoiar o impeachment de Dilma, se filiando posteriormente ao MDB e ao Solidariedade.

O PT, antigo partido de Marta, apoia Boulos

O PT, sigla em que Marta foi filada por 34 anos, apoia a candidatura do deputado federal Guilherme Boulos (PSOL-SP), enquanto Nunes é apoiado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). O prefeito busca a aprovação do ex-presidente para se consolidar como o nome da direita nas eleições municipais. Nos últimos meses, os dois se reuniram por quatro vezes em eventos públicos.

Na última quarta-feira, 16, Nunes disse que busca encontrar um vice que conheça a cidade de São Paulo para disputar as eleições, e disse que o nome será anunciado "na hora certa" após a realização de convenções partidárias e diálogo com todos os partidos da situação. Segundo o prefeito, não é certo que o partido de Valdemar e Bolsonaro fará a indicação do companheiro de chapa, mas ponderou que o tempo de TV da sigla é um aspecto que vai ser levado em consideração.

.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade