PUBLICIDADE

Política

"Novo ano, novo começo", diz Biden após reunião com Dilma

Reunião com o vice dos EUA foi o único encontro bilateral que a presidente realizou após sua posse

1 jan 2015 - 21h20
(atualizado em 2/1/2015 às 08h33)
Compartilhar
Exibir comentários
<p>Dilma Rousseff e o&nbsp;vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden</p>
Dilma Rousseff e o vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden
Foto: Fernando Bizerra Jr. / EFE

O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, reuniu-se com a presidente Dilma Rousseff nesta quinta-feira, após a cerimônia de posse da governante, e se mostrou esperançoso em relação ao futuro das relações entre os dois países.

"É um ano novo, um novo começo", disse Biden. A reunião, segundo a agenda oficial, duraria apenas 10 minutos, mas se estendeu por uma hora, disseram fontes oficiais.

Sobre a possibilidade de a presidente fazer uma visita aos Estados Unidos em 2015, Biden foi genérico: "espero que sim". Ele, no entanto, não deu mais informações sobre a conversa. Este foi o único encontro bilateral que a presidente realizou no dia.

A relação entre Brasil e Estados Unidos entrou em um período de esfriamento em meados de 2013, quando o ex-prestador de serviços da CIA Edward Snowden denunciou que Dilma e a Petrobras tinham sido espionadas pelo serviço secreto americano.

Após as denúncias, Dilma suspendeu uma visita de Estado para Washington programada para outubro de 2013, e a relação com a Casa Branca só melhorou há dois meses, quando a governante foi reeleita e conversou por telefone com o presidente dos EUA, Barack Obama.

Em 31 de dezembro, no término do primeiro mandato, Dilma fez um "afago" nos EUA ao nomear como novo ministro das Relações Exteriores Mauro Viera, até então embaixador em Washington. Vieira tem ampla experiência em comércio exterior e, além disso, foi embaixador na Argentina.

O novo chanceler assumiu a embaixada nos Estados Unidos no início de 2010, pouco depois do primeiro mandato de Obama, o que permitiu a ele construir pontes diretas com o Departamento de Estado e a Casa Branca.

EFE   
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade