0

Ministros do TSE dizem que matemática pode enterrar partido de Marina

3 out 2013
08h27
atualizado às 08h28
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A maior parte dos ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) acha difícil que a ex-senadora Marina Silva consiga criar o partido Rede Sustentabilidade a tempo de disputar a eleição de 2014. Eles entendem que a futura sigla não conseguiu alcançar o número mínimo de apoios exigidos pela lei. Nesta quinta-feira, os ministros da Corte decidem o futuro da Rede. Quatro dos sete integrantes do TSE afirmaram ao jornal O Estado de S. Paulo que o problema é aritmético, e não jurídico, e avaliaram que a tendência é negar o registro.

A presidente do TSE, ministra Cármen Lúcia, ressaltou que não pode antecipar expectativas e o voto que vai dar no caso da Rede, mas deu uma "sugestão" à ex-senadora. Segundo ela, para que Marina se candidate à Presidência - o que "seria legítimo e bom para o povo" -, a Constituição exige somente a filiação a algum partido. "É legítimo ela buscar já um grupo que tenha essa afinidade de discurso", salientou ela ao Estado de S. Paulo, ressaltando que o País tem 32 partidos que poderiam servir de opção a Marina.

Veja também:

Em 'live' com alvos de ação do STF, Eduardo Bolsonaro cita 'momento de ruptura'
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade