1 evento ao vivo

2ª Turma do STF desarquiva inquérito de Beto Mansur

Procurado pela reportagem, Mansur disse que não há "absolutamente nada de errado" no caso.

12 fev 2019
16h57
atualizado às 17h33
  • separator
  • comentários

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta terça-feira, 11, desarquivar um inquérito contra o ex-deputado federal Beto Mansur (MDB-SP) e determinar que a Procuradoria-Geral da República (PGR) conclua as diligências dentro de um prazo de 60 dias. O colegiado também determinou que a investigação deve ser encaminhada para o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) analisar a suspeita de crime de falsidade ideológica eleitoral (caixa 2).

O inquérito - instaurado no âmbito da delação da Odebrecht - havia sido arquivado por decisão do relator, ministro Gilmar Mendes, sem uma manifestação prévia da Procuradoria-Geral da República (PGR), que entrou com recurso depois.

Sessão da 2ª Turma do STF.
Sessão da 2ª Turma do STF.
Foto: Rosinei Coutinho / SCO/STF

Segundo delatores da Odebrecht, Beto Mansur (apelidado de "BMW" na planilha da empreiteira) acertou com a empreiteira o pagamento de R$ 550 mil para sua campanha a deputado federal em 2014 pelo PRB, dos quais R$ 250 mil seriam por meio de doação oficial e o restante, R$ 300 mil, via caixa 2 - o pagamento teria sido efetuado pelo Setor de Operações Estruturadas da empreiteira, conhecido como o departamento da propina da Odebrecht.

Procurado pela reportagem, Mansur disse que não há "absolutamente nada de errado" no caso. "Não vejo nenhum problema (na decisão da turma), já fiz a minha defesa e não tem nada de errado. Vamos aguardar", comentou Mansur.

O deputado Beto Mansur foi denunciado pela PGR há duas semanas
O deputado Beto Mansur foi denunciado pela PGR há duas semanas
Foto: Agência Brasil

 

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade