PUBLICIDADE

'Jornal Nacional' exibe 13 minutos de terror para Bolsonaro

Telejornal destaca pesquisa eleitoral do Datafolha e repercute reações veementes contra o presidente

10 jul 2021 09h19
| atualizado às 09h20
ver comentários
Publicidade

Na GloboNews, o comentarista Valdo Cruz, com boas fontes nos bastidores de Brasília, disse que Jair Bolsonaro demonstrou “irritação acima do normal” em recente reunião com ministros. Caso o presidente tenha assistido ao 'JN' de sexta-feira (9), deve ter tido reação colérica.

Atacado pelo presidente, ‘JN’ é o grande amplificador de notícias negativas sobre Bolsonaro
Atacado pelo presidente, ‘JN’ é o grande amplificador de notícias negativas sobre Bolsonaro
Foto: TV Globo/Reprodução e Presidência da República/Divulgação (Fotomontagem: Blog Sala de TV)

O principal telejornal da Globo exibiu duas pautas prejudiciais à imagem dele. A primeira, com 9 minutos e 30 segundos, apresentou os dados de nova pesquisa do Datafolha a respeito de intenções de voto (Bolsonaro perde em todos os cenários, no 1º e 2º turnos) e sobre o desempenho do presidente no combate à pandemia (recorde de avaliação negativa).

Para aumentar sua fúria, o levantamento apontou que ele é considerado culpado pela situação da pandemia no País por 46% dos entrevistados, maior índice desde o início da crise sanitária. Enquanto isso, houve aumento da aprovação da performance dos governadores, alvos frequentes de ataques verbais de Bolsonaro.

O Datafolha indicou somente dois números favoráveis, ambos relacionados ao Ministério da Saúde. Subiu a avaliação 'ótimo ou bom' (de 30% para 34%, empate com 'regular') para a pasta ocupada agora pelo médico Marcelo Queiroga.

Melhorou também a opinião a respeito da ação do Ministério da Saúde na compra de vacinas contra a covid-19: 37% de 'ótimo ou bom' (antes, 32%). A apuração aconteceu nos dias 7 e 8, quando a imprensa já repercutia a queda relevante do número de casos e mortes no País. Os telejornais, incluindo o 'JN', demonstram otimismo em relação ao possível controle da pandemia.

Na sequência do destaque à pesquisa do Datafolha, mais 4 minutos de críticas diretas e indiretas a Bolsonaro. William Bonner e Renata Vasconcellos repercutiram reações à fala do presidente colocando em dúvida a realização da eleição de 2022. Foi dado espaço ao comunicado do presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, e a trecho do pronunciamento do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco.

O 'JN' de ontem começou com 27 pontos, bom índice herdado da novela 'Salve-se Quem Puder'. No momento do noticiário negativo a Bolsonaro, o telejornal oscilou entre 24 e 25 pontos. Em seguida, caiu um pouco por conta da transmissão do jogo Colômbia x Peru pela Copa América no SBT. Esses números são prévios da aferição minuto a minuto da Kantar Ibope.

As manchetes desfavoráveis ao presidente no 'Jornal Nacional' têm, certamente, contribuído para o baque em sua popularidade, de acordo com medição de diferentes institutos de pesquisas. Em dias de melhor público, o telejornal chega a ser visto por mais de 20% da população brasileira. Uma influência capaz de levantar ou derrubar a imagem de qualquer um, até do homem que ocupa o cargo mais poderoso do País.

Sala de TV Blog Sala de TV - Todo o conteúdo (textos, ilustrações, áudios, fotos, gráficos, arquivos etc.) deste blog é de responsabilidade do blogueiro que o assina. A responsabilidade por todos os conteúdos aqui publicados, bem como pela obtenção de todas as autorizações e licenças necessárias, é exclusiva do blogueiro. Qualquer dúvida ou reclamação, favor contatá-lo diretamente no e-mail beniciojeff@gmail.com.
Publicidade
Publicidade