4 eventos ao vivo

Em ato do PT, Gleisi Hoffmann diz que partido não está morto

Deputada federal e presidente do PT afirmou que uma das provas do vigor do PT foi o resultado das eleições de outubro

9 fev 2019
21h03
atualizado em 10/2/2019 às 11h05
  • separator
  • 199
  • comentários

A deputada federal e presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PR), disse neste sábado, 9, que o partido não está "morto ou enfraquecido", como quer "bradar a turma de Jair Bolsonaro" e afirmou que uma das provas do "vigor" do partido foi o resultado das eleições de outubro, com o ex-candidato à presidência Fernando Haddad recebendo 45 milhões de votos.

Deputada federal e presidente do PT Gleisi Hoffmann
Deputada federal e presidente do PT Gleisi Hoffmann
Foto: Paulo Whitaker / Reuters

Gleisi fez discurso durante ato para a comemoração do aniversário de 39 anos do PT em evento na capital paulista. "Quando apostavam que íamos desistir ou que estávamos mortos, lá estávamos nós de novo, renascendo, ressurgindo, sempre na luta", disse a deputada.

Ela usava uma camiseta vermelha onde se lia "Lula Livre" e disse que o ex-presidente ainda "incomoda muito". "Se o PT estivesse morto e enfraquecido, não seríamos pauta todo dia nos jornais", disse.

A parlamentar afirmou que o PT enfrentou nesses 39 anos uma série de preconceitos e um dos principais foi pelo fato de Lula, um ex-torneiro mecânico, ser presidente, além de ser alvo constante de campanhas de desconstrução.

"Enfrentamos o preconceito, porque diziam que não tínhamos gente qualificada para governar prefeituras, Estados", disse ela. "Desde o mensalão tentam enterrar o PT, Lula e nossas lideranças."

Durante a fala, Gleisi disse que a ex-presidente Dilma Rousseff foi tirada do cargo "no tapetão".

A presidente do PT criticou Bolsonaro, afirmando que ele não tem qualificações para governar. Ela prometeu forte oposição ao atual governo, que "não terá tréguas". "Não permitiremos retrocesso ao povo brasileiro", disse.

Veja também:

 

Estadão
  • separator
  • 199
  • comentários
publicidade