PUBLICIDADE

Política

"Cid vai contar todos os fatos de Bolsonaro que lhe perguntarem", diz advogado do tenente-coronel

Mauro Cid vai prestar novos depoimentos à Polícia Federal após fechar acordo de delação, homologado pelo ministro do STF Alexandre de Moraes

11 set 2023 - 13h15
(atualizado às 15h32)
Compartilhar
Exibir comentários
O tenente-coronel do Exército, Mauro Cid, enquanto era ajudante de ordens do então presidente Jair Bolsonaro; hoje Cid está preso por suspeita de falsificação de cartões de vacinas e é investigado por golpe de estado e venda de joias da Presidência.
O tenente-coronel do Exército, Mauro Cid, enquanto era ajudante de ordens do então presidente Jair Bolsonaro; hoje Cid está preso por suspeita de falsificação de cartões de vacinas e é investigado por golpe de estado e venda de joias da Presidência.
Foto: Dida Sampaio/Estadão / Estadão

Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro, prestará novos depoimentos em diversas frentes de investigação, incluindo o suposto roteiro do golpe e a fraude em cartões de vacina, entre outros temas em que ele possa colaborar. As informações são do blog da jornalista Andréia Sadi, da GloboNews.

"É o compromisso dele com a delação homologada. Não se trata de incriminar A ou B, ele vai contar todos os fatos que viveu com Bolsonaro que lhe perguntarem. Quem vai decidir se é crime são as autoridades", disse o advogado Cezar Bittencourt, que defende Cid nas investigações.

De acordo com Bittencourt, Cid tem uma grande quantidade de informações para compartilhar e está disposto a relatar tudo o que testemunhou no período em que esteve ao lado do ex-presidente e durante os eventos do governo Bolsonaro. O militar agora assume a responsabilidade de fornecer à PF informações adicionais e evidências que possam impulsionar o andamento das investigações.

Em acordos de delação, está implícito que o indivíduo sob investigação se compromete a fornecer todas as informações que possui sobre atividades ilícitas às autoridades em troca de benefícios. Portanto, ele não tem o direito de permanecer em silêncio se estiver ciente de qualquer informação relevante para as investigações. 

Segurança de Cid

O advogado enfatizou que a principal preocupação no momento é garantir a segurança da família Cid. Segundo Bittencourt, os familiares estão preocupados com a repercussão do caso, especialmente após o acordo de delação ter sido fechado.

A decisão de colaborar com as autoridades foi tomada visando à proteção da família, uma vez que o pai e a esposa se tornaram alvos das investigações da Polícia Federal.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade