0

Candidato do governo, Alcolumbre presidirá eleição no Senado

16 jan 2019
21h08
atualizado às 22h03
  • separator
  • comentários

Candidato alinhado ao governo Jair Bolsonaro, o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) irá presidir a sessão do Senado que escolherá o novo presidente da Casa, no dia 1º de fevereiro. Mesmo sendo candidato à Presidência, Alcolumbre tem buscado pareceres que garantam que ele possa comandar a sessão e ainda concorrer ao posto. O parlamentar tem apoio, inclusive, do seu partido e vai argumentar que o regimento não trata desse tipo de particularidade.

O senador Davi Alcolumbre (DEM-AP)
O senador Davi Alcolumbre (DEM-AP)
Foto: Marcos Oliveira / Agência Senado

De acordo com o regimento interno, preside a sessão o remanescente da Mesa Diretora anterior que esteja no meio do mandato. O único nessas condições, coincidentemente, é Alcolumbre. O senador do DEM vinha sendo pressionado a abandonar sua candidatura para poder presidir a sessão no dia da eleição sob o argumento de que ele não poderia conciliar as duas coisas. Mas, caso Alcolumbre abdicasse do direito de presidir a sessão, quem comandaria os trabalhos seria o senador José Maranhão (MDB-PB), ligado ao senador Renan Calheiros (MDB-AL), por ser o parlamentar mais velho do Senado.

Ao optar por presidir a sessão, Alcolumbre terá poder de rejeitar questões de ordem de aliados de Renan que possam vir a beneficiá-lo na eleição. Uma das possibilidades ventiladas é que algum dos senadores próximos ao emedebista apresentassem um pedido para que o Senado decidisse a disputa em um único turno, sem a necessidade de um segundo turno. Como candidato mais forte, Renan sairia na frente dos outros candidatos se isso acontecesse.

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade