5 eventos ao vivo

Brasileiros que vivem em Miami farão protestos contra Dilma

Ato foi marcado para o domingo, quando ocorrem protestos simultâneos em várias cidades do Brasil

11 mar 2015
08h40
atualizado às 08h43
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Foto: Reprodução

Um grupo de brasileiros que mora em Miami, nos Estados Unidos,  se organiza para participar do movimento contra a presidente Dilma Rousseff (PT), marcado para o próximo domingo. A convocação feita pelas redes sociais já conta com a confirmação de pelo menos 450 brasileiros que vivem no estado da Flórida.

“Você brasileiro que mora no exterior, mas não está satisfeito com o governo brasileiro tem a obrigação de nos acompanhar neste ato de solidariedade aos protestos por todo o Brasil. Vamos nos reunir diante do Monumento Torch of Friendship em frente ao Bayside em downtown Miami. Domingo dia 15 de Março a partir das 12:00”, diz uma das convocações no Facebook.

A orientação é que as pessoas se vistam de verde e amarelo e protestem com bandeiras e cartazes.  “Somos um povo unido e vamos derrotar o PT e a corrupção que assola nosso pais (sic)! Precisamos urgentemente resgatar a soberania nacional e colocar o pais novamente nos trilhos da Ordem e Progresso, lema de nossa bandeira”, completa o chamado.

Entre os comentários dos participantes estão os tradicionais brados contra o PT e contra a presidente Dilma. As críticas contra a corrupção, que dominavam os protestos do ano passado, agora estão acompanhadas pela crítica à economia, reforçada pela cotação do dólar, que fechou a R$ 3, 10 nesta terça-feira.

Foto: Reprodução

Outros defendem a volta dos militares, apesar de fazerem parte de uma minoria.

Foto: Reprodução

Segundo os organizadores do protesto na cidade americana, dois atos que haviam sido agendados foram unificados para ocorrer em apenas um endereço: diante do Monumento Torch of Friendship em frente ao Bayside, em downtown Miami.

Foto: Reprodução

Veja também:

Senadora Simone Tebet (MDB-MS) defende representatividade mínima de 30% de mulheres na direção dos partidos
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade