0

Bolsonaro sugere neutralidade em Estados onde PSL não disputa o governo

11 out 2018
20h02
  • separator
  • comentários

O candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, pediu aos políticos do seu partido com os quais esteve reunido na tarde desta quinta-feira, 11, que mantenham neutralidade nas disputas a governador em seus Estados, com exceção daqueles em que o PSL está no páreo.

"Essa é a missão mais importante. Nas disputas estaduais onde tem candidato nosso, vamos nos empenhar. Nos demais Estados, vamos partir para a neutralidade. Afinal de contas, meu objetivo é 17, o nosso número para que possamos mais do que repetir a última votação e garantir a nossa eleição", afirmou a plateia de partidários e aliados.

Durante o encontro, o primeiro de grande porte desde a vitória no primeiro turno, Bolsonaro atacou o adversário pelo PT, Fernando Haddad. "Tenho visto o Haddad dizendo que vai reconstruir o Brasil. Quero cumprimentá-lo. Ele já reconhece que o Brasil foi destruído e por eles mesmos. Ele agora está me desafiando a debater com ele, para dizer o que eu fiz ao longo de 28 anos. Eu não roubei como seus colegas roubaram", afirmou.

Bolsonaro ainda voltou a defender o candidato a vice em sua chapa, o general Hamilton Mourão. Disse que sua fala sobre o 13º foi mal compreendida e que, em vez disso, seu vice propõe o pagamento do benefício no programa social Bolsa Família. A ideia, segundo Bolsonaro, já teria sido aprovada também pelo assessor econômico Paulo Guedes.

Imprensa

Além de admitir que ainda avalia se vai participar de debates de televisão, Bolsonaro recomendou aos políticos do seu partido e apoiadores que não falem com a imprensa.

"Recomendo, até se for o caso, a nem falar. Porque grande parte da mídia é de esquerda e quer, de todas as maneiras, arranjar um meio de nos desgastar", disse Bolsonaro à plateia de aliados.

Ele se dirigiu em especial aos "eleitos", que, em sua opinião, devem ter "muito cuidado para lidar com a mídia". "Eles não querem fazer uma matéria isenta, dizendo algo que você sonha. Ele (o repórter) quer arranjar uma maneira de pegar uma frase sua, uma escorregada, para me atacar", complementou.

Segundo Bolsonaro, a divulgação de notícias falsas nas redes sociais é uma característica própria do partido adversário, o PT. "Conseguimos enfrentar fake news de toda ordem. E vamos continuar combatendo isso daí. Somos completamente diferente deles, que atentaram contra a minha vida. Nós somos um perigo não para a democracia, mas para aqueles que teimam em não ser brasileiros", afirmou.

Estadão Conteúdo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade