PUBLICIDADE

Política

Bolsonaro paga multa de mais de R$ 910 mil para Estado de SP; ele foi pessoalmente ao banco

Ex-presidente pagou a infração recebida após o ato de 7 de setembro de 2021 por não usar máscara de proteção facial na capital paulista

16 ago 2023 - 17h46
(atualizado às 17h56)
Compartilhar
Exibir comentários
Jair Bolsonaro (PL) durante coletiva de imprensa em Brasília em 22 de março de 2021
Jair Bolsonaro (PL) durante coletiva de imprensa em Brasília em 22 de março de 2021
Foto: Francisco Nero/Futura Press

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) pagou a multa de mais de R$ 900 mil por não utilizar máscara de proteção facial na cidade de São Paulo, em 2021, durante a pandemia da covid-19. O pagamento foi confirmado pela assessoria de Bolsonaro ao Terra. 

O ex-presidente foi pessoalmente até uma agência do Banco do Brasil, em Brasília, nesta quarta-feira, 16, e pagou a infração de R$ 913.336,08 ao Estado paulista. 

Bolsonaro foi multado por não usar máscara de proteção facial durante ato do 7 de Setembro na Avenida Paulista em 2021. Na época, o uso de máscara era obrigatório em todo o Estado de São Paulo devido à  pandemia da covid-19. 

Caso das jóias 

A Polícia Federal (PF) investiga suposto desvio de presentes oficiais recebidos pelo governo de Jair Bolsonaro. Os itens pertenciam à União, e a suspeita é que pessoas ligadas ao ex-presidente tenham vendido as peças ilegalmente.    

Segundo as investigações, o advogado Frederick Wassef recomprou, nos Estados Unidos, o relógio da marca Rolex recebido pelo ex-presidente Jair Bolsonaro em viagem oficial. O objeto foi vendido pelo general Mauro César Lourena Cid, pai de Mauro Cid, braço-direito do ex-chefe do Executivo, e recuperado para ser entregue ao Tribunal de Contas da União (TCU).

As movimentações faziam parte, de acordo com a PF, de atos para recuperar os itens que integravam o denominado "Kit Ouro Branco", com o objetivo de "escamotear, das autoridades brasileiras, a evasão e a venda ilícitas dos bens no exterior".

Estima-se que o valor arrecadado com a venda seria de US$ 68.000,00 (correspondente a R$ 346.983,60), segundo um comprovante de depósito identificado nos dados da nuvem de Cid pela PF no mesmo dia que o tenente-coronel esteve na Precision Watches. O valor da recompra seria maior do que o obtido na venda, conforme as investigações.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade