PUBLICIDADE

Bolsonaro diz ter ameaçado médico de transferência se não receitasse cloroquina

Presidente relatou que já teve sintomas da doença e precisou de assistência médica

28 jun 2022 - 19h50
(atualizado às 20h48)
Ver comentários
Publicidade
Bolsonaro confessa ter ameaçado médico de transferência para tomar cloroquina
Bolsonaro confessa ter ameaçado médico de transferência para tomar cloroquina
Foto: fdr

O presidente Jair Bolsonaro confessou ter ameaçado um médico de transferência para a fronteira caso ele não receitasse remédios comprovadamente ineficazes contra a covid-19. O incidente aconteceu quando o presidente sentiu sintomas da doença. A declaração foi dada  a um canal no YouTube em 25 de maio, mas veiculada apenas nesta terça-feira, 28.

Após reiterar ataques às vacinas contra a covid-19, recomendadas por cientistas, Bolsonaro relatou que já teve sintomas da doença e precisou de assistência médica. "Falei: 'acho que estou com sintomas'. Eu estava broxa. Estava meio broxa. E ele falou para mim: 'vamos fazer o teste'. Falei: 'me traz o remédio, porque o exame só vai sair o resultado amanhã, pode ser tarde demais'. 'Ah, protocolos nossos'. Falei: 'traz remédio ou te transfiro para fronteira agora, democraticamente'. Tomei, no dia seguinte estava bom", relatou o presidente.

Estadão
Publicidade
Publicidade