0

Barroso: Caso Moro mostra clara ação criminosa de violação

De acordo com o ministro do STF, houve "violação de comunicação privada" do ex-juiz federal

5 jul 2019
20h17
atualizado às 21h42
  • separator
  • 0
  • comentários

O ministro Luis Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), não quis comentar as supostas trocas de mensagens entre o ministro da Justiça, Sergio Moro, quando era juiz da Lava Jato, com procuradores da operação. No entanto, criticou a invasão dos dados por parte de hackers.

Barroso em sessão do STF
 23/11/2017   REUTERS/Ueslei Marcelino
Barroso em sessão do STF 23/11/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino
Foto: Reuters

"(Não vou comentar) porque juiz fala ao final, não fala no início nem no meio, mas houve clara ação criminosa de violação de comunicação privada", disse o ministro, que participa de evento da XP Investimentos. "Sem querer fulanizar, gostaria de saber qual emprego ou família se sustentaria com dois anos de violação de comunicação privada", acrescentou.

Em seguida, Barroso disse que é preciso colocar o Poder Judiciário no debate público. "O Judiciário é um corpo técnico qualificado, com pessoas recrutadas por concursos públicos sérios, mas o sistema é muito ruim, é caro e presta serviço muito ruim, temos de acabar com a naturalização de processos que levam dez anos", disse.

Veja também:

O projeto brasileiro no top 10 do "Nobel de Educação"
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade