PUBLICIDADE

Após alta, Bolsonaro vai a jogo beneficente com sertanejos

Presidente vinha sendo criticado por aproveitar férias em Santa Catarina e não visitar a Bahia, onde as fortes chuvas provocaram mortes

5 jan 2022 21h52
| atualizado em 6/1/2022 às 09h08
ver comentários
Publicidade
Bolsonaro participou do jogo, dando o ponta pé inicial, na partida beneficente transmitida na TV aberta
Bolsonaro participou do jogo, dando o ponta pé inicial, na partida beneficente transmitida na TV aberta
Foto: Band

No mesmo dia em que recebeu alta hospitalar, o presidente Jair Bolsonaro (PL) viajou para Buriti Alegre, em Goiás, para acompanhar uma partida beneficente de futebol organizada por cantores sertanejos. O presidente vinha sendo criticado por aproveitar férias em Santa Catarina e não visitar a Bahia, onde as fortes chuvas provocaram mortes de ao menos 26 pessoas.

Após sentir um desconforto abdominal, Bolsonaro foi levado do Sul do País a São Paulo, onde permaneceu internado por dois dias. Ele retornou a Brasília na manhã de quarta-feira, 5. No fim da tarde, seguiu com comitiva para a cidade localizada ao sul de Goiás, afastada cerca de 180 quilômetros de Goiânia.

A partida de futebol é uma iniciativa do cantor Marrone, da dupla com o sertanejo Bruno. O compromisso foi inserido, à noite, na agenda oficial do presidente Jair Bolsonaro, com início previsto para as 21 horas.

No local, Bolsonaro interagiu com populares e posou para fotos, sem máscara.

André Chaves, prefeito de Buriti Alegre, Bolsonaro e o sertanejo Marrone
André Chaves, prefeito de Buriti Alegre, Bolsonaro e o sertanejo Marrone
Foto: Instagram / Reprodução

O cantor Gusttavo Lima também participaria do jogo 'Amigos de Marrone contra a fome'. Contudo, confirmou nesta quarta que foi diagnosticado com a covid-19 e precisou adiar shows e a participação no evento beneficente.

A internação de Jair Bolsonaro foi atribuída a um camarão não ingerido corretamente pelo presidente. Ele teve obstrução intestinal. Uma possibilidade de cirurgia chegou a ser cogitada, mas logo foi descartada.

Estadão
Publicidade
Publicidade