PUBLICIDADE

vc repórter: grupo mata PM após explodir carro-forte em SP

Quadrilha especializada atacou dois carros-fortes na SP-340, entre Aguaí e Casa Branca, e baleou um policial com fuzil

30 out 2014 17h47
| atualizado às 17h50
ver comentários
Publicidade

Um policial militar foi morto a tiros na manhã desta quinta-feira na rodovia Doutor Adhemar Pereira de Barros (SP-340), entre Aguaí e Casa Branca, no interior de São Paulo. De acordo com a corporação, o crime aconteceu após um ataque de uma quadrilha especializada a dois carros-fortes na rodovia.

Siga o vc repórter no Twitter

A Polícia Militar afirmou que o cabo Alaor Branco Júnior, 45 anos, era membro do batalhão de São João da Boa Vista, mas trabalhava na cidade de Aguaí. A morte do policial aconteceu por volta das 10h, na alça de acesso próxima ao quilômetro 200 da rodovia. Acompanhado por um motorista, que sofreu apenas ferimentos leves devido aos estilhaços, o agente foi surpreendido por bandidos que haviam acabado de explodir um carro-forte com dinamite.

Dividida em cinco carros, segundo a PM, a quadrilha estava atrás do outro veículo blindado. Durante a perseguição, os criminosos passaram por uma base da Polícia Militar Rodoviária na SP-340 e alvejaram o local. Alaor estava a caminho do posto, onde um policial ficou ferido, para apoiar o atendimento à ocorrência.

A corporação afirmou que o cabo não teve tempo de trocar tiros com os bandidos e a viatura apenas procurou desviar dos disparos feitos contra os policiais. O agente foi atingido na nuca, por uma bala de fuzil. Ele chegou a ser encaminhado para o Pronto-Socorro de Aguaí, mas não resistiu.

A PM não soube precisar o número de membros da quadrilha mobilizados na ação. Um dos carros foi incendiado pelo próprio grupo após o ocorrido. Apesar da explosão, os criminosos não conseguiram levar o dinheiro transportado pelo veículo blindado. Funcionários da instituição financeira responsável, que estavam no carro-forte, ficaram feridos.

Viaturas da corporação foram deslocadas para capturar os bandidos. A PM afirmou que, apesar da grande mobilização, a quadrilha acabou se dispersando pelas vias próximas e, até por volta das 17h, nenhum suspeito havia sido preso. Não foi necessário interditar a rodovia.

Alaor Branco Júnior era casado, tinha dois filhos e estava na PM há 24 anos. O corpo do cabo será velado na Câmara Municipal de Aguaí, de onde sairá em cortejo, na manhã desta sexta-feira, para ser sepultado no cemitério da cidade.

O leitor Wagner Guidi, de Limeira (SP), participou do vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra. Se você também quiser mandar fotos, textos ou vídeos, clique aqui ou envie pelo aplicativo WhatsApp, disponível para smartphones, para o número +55 11 97493.4521.

vc repórter
Publicidade
Publicidade