0

SP: 40 pontos estratégicos para a Copa recebem reforço da PM

Novo pelotão, em treinamento desde 2010, não agirá dentro de estádio ou em manifestações; estações de metrô e trem, Arena Corinthians e hotéis credenciados pela Fifa terão reforço de 4.265 PMs a partir de terça

16 mai 2014
12h47
atualizado às 19h42
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Quarenta pontos considerados estratégicos para a Copa do Mundo de futebol começam a ser monitorados por policiais militares 24 horas por dia, em São Paulo, a partir da próxima terça-feira. Ao todo, são 4.265 PMs que compõem o novo Comando de Policiamento da Copa (CPCopa), em treinamento desde 2010 para o evento. A abertura do Mundial será no dia 12 de junho na Arena Corinthians, zona leste da capital paulista e um dos pontos do monitoramento ostensivo.

Além da arena, serão monitorados ainda o Aeroporto Internacional de Guarulhos - que contará com 300 agentes intérpretes para auxiliar os turistas em alemão, espanhol, inglês, francês, japonês e coreano -, além de estações de trem e metrô, pontos turísticos, as Fan Fests da Fifa, no Vale do Anhangabaú, e os Public Views, exibições públicas dos jogos que serão realizadas em parques como o da Juventude, na zona norte, do Povo e do Campo Limpo, na zona sul. O grupo será responsável por mais de 90% das escoltas de autoridades e delegações de Estado.

Em entrevista ao Terra, o porta-voz da PM paulista, capitão Sérgio Marques, afirmou que todos os afastamentos regulares da Polícia Militar, como férias e licenças-prêmio, foram suspensos durante o evento. Além do CPCopa, outros batalhões atuarão durante os jogos --dentro do estádio e nas manifestações de rua previstas para ocorrer durante e contra o evento.

Tropa não agirá em protestos, diz porta-voz
Segundo Marques, o CPCopa não entrará em ação durante eventuais protestos. "O próprio batalhão territorial cuidará dos protestos caso seja necessário, e em última instância o Choque entrará em ação", disse.

“Quando a essência da manifestação é pacífica, a própria Constituição Federal a protege. Mas há uma distinção entre isso e atos de vandalismo que acarretam pessoas feridas e danos ao patrimônio –há aí a necessidade, até como missão, de intervenção. Mas o CPCopa não fará isso, e sim, as forças táticas do batalhões, e, de forma suplementar, o policiamento de Choque”, disse.

O Batalhão de Choque ganhou equipamentos especiais para o evento. Cerca de 200 kits foram adquiridos, e incluem um exoesqueleto de polipropileno, material resistente a pancadas, viseira, botas antiderrapantes e proteção também para os cavalos. Cada conjunto para os animais custou cerca de R$ 600 e, para os policiais, R$ 2,3 mil.

"A segurança interna dos estádios será feita pelos Stewards (seguranças particulares contratados pela Fifa), mas teremos 160 policias do Choque e 40 bombeiros em salas de pronta resposta dentro do estádio, que só atuarão com quebra da ordem pública, como brigas de torcida, ou quando os seguranças não conseguirem atender a demanda, em casos de revista, por exemplo", afirmou o capitão.

Indagado sobre o tipo de armamento portado pelo CPCopa, o porta-voz afirmou que será o do tipo "convencional", ou seja, letal e não letal.

Além de Cumbica, da Arena Corinthians e dos oito hotéis credenciados pela Fifa onde permanecerão alojadas as delegações --15 das 32 seleções que se classificaram estarão no Estado de São Paulo --, museus, teatros, centros de treinamento e estações de metrô e trem como Luz, Corinthians-Itaquera, Anhangabaú, Artur Alvim, República, São Bento, Sé, Portuguesa-Tietê, Carandiru e Palmeiras-Barra Funda também estarão entre os 40 monitorados pelos PMs do CPCopa.

Veja também:

Editor do L! analisa sorteio de mando na final da Taça Rio
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade