0

RJ: MP cumpre ação em imóveis de polícias presos em operação

6 nov 2014
13h22
atualizado às 13h31
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Uma ação do Grupo de Atuação Especial do Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público junto com a Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança e homens da Polícia Militar cumprem neste momento 26 mandados de busca e apreensão em todo o Estado em residências e endereços comerciais de oito dos investigados na Operação Amigos S/A, um grande esquema de corrupção e propina que envolvia policiais do 14º Batalhão da PM, em Bangu, entre eles o coronel Alexandre Fontenelle que era o terceiro na linha de comando da polícia carioca.

As suspeitas são de compra de imóveis e abertura de empresa com o dinheiro arrecadado no esquema. Um imóvel de luxo na praia de Búzios e dois apartamentos que estavam em nome da mãe de Fontenelle, e das irmãs do major Carlos Alexandre de Jesus Lucas e do capitão Walter Colchone. Além desses três, estão envolvidos Nilton João dos Prazeres Neto, capitão Rodrigo Leitão da Silva, major Edson Alexandre Pinto de Góes, capitão Diego Soares Peixoto e o terceiro sargento Wallace Heiser. Wallace não está sendo investigado pela operação mas foi apontado como sócio de Fontenelle em várias empresas.

A Operação Amigos S/A foi deflagrada no dia 15 de setembro e prendeu 26 policiais do 14º Batalhão, entre eles, seis oficiais envolvidos no esquema de corrupção e propina a comerciantes da área do Batalhão. De acordo com o Gaeco, os acusados utilizavam o dinheiro arrecadado na compra de imóveis e abertura de empresas que, muitas vezes, não tinham sequer um funcionário.

 

Batismo de fogo: Os nomes inusitados das operações policiais Batismo de fogo: Os nomes inusitados das operações policiais

Veja também:

Motociclista morre ao se envolver em batida com ônibus na BR 277, em Cascavel
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade