0

Protestos terminam com ao menos 71 presos em 4 capitais

Somente em Porto Alegre (RS), a polícia deteve 45 pessoas, a maioria por danos qualificados

18 jun 2013
16h31
atualizado às 16h37
  • separator
  • 0
  • comentários

O balanço da Polícia Militar do Rio de Janeiro, Belo Horizonte (MG), Porto Alegre (RS) e Curitiba (PR) aponta que ao menos 71 pessoas foram detidas durante os protestos da última segunda-feira, a maior parte por danos qualificados, desacato e vandalismo. Na capital gaúcha, foram 45 presos, segundo a Brigada Militar. No Rio, o número chegou a 13; em Curitiba, foram nove; e na capital mineira, cinco.

<p>Mascarado, manifestante mostra a bandeira do Brasil em frente a uma barricada de lixo em chamas no Rio de Janeiro</p>
Mascarado, manifestante mostra a bandeira do Brasil em frente a uma barricada de lixo em chamas no Rio de Janeiro
Foto: AP

Segundo o delegado Alcides Alves Pereira, da 5ª DP (Mem de Sá), no Rio de Janeiro, as fianças variaram entre R$ 700 e R$ 3 mil, e todos os detidos devem ser indiciados por formação de quadrilha. As pessoas liberadas reclamaram que as prisões foram realizadas de forma aleatória.

&amp;amp;amp;lt;a data-cke-saved-href=&amp;amp;quot;http://www.terra.com.br/noticias/infograficos/tarifas-de-onibus/iframe.htm&amp;amp;quot; href=&amp;amp;quot;http://www.terra.com.br/noticias/infograficos/tarifas-de-onibus/iframe.htm&amp;amp;quot;&amp;amp;amp;gt;veja o infogr&amp;amp;aacute;fico&amp;amp;amp;lt;/a&amp;amp;amp;gt;

Matheus Costa, de 21 anos, contou que estava caminhando com a passeata ao lado do pai quando foi agarrado pela mochila por um policial. Ele é filho do fundador da ONG Rio de Paz, que luta contra a violência no Rio de Janeiro. “Ele não deu nenhum motivo para me levar. Simplesmente disse que eu estava preso”, afirmou o estudante.  

No Rio Grande do Sul, o comandante da Brigada Militar, coronel Fabio Duarte Fernandes, disse que os vândalos que promoveram depredações e enfrentaram a polícia na manifestação de ontem estavam articulados com depredadores de outros Estados, onde também ocorreram atos de vandalismo.

"Esse trabalho é feito pelos depredadores, pelos vândalos, porque o movimento define os intinerários, mas os depredadores buscam sincronia. Ontem ficou estabelecido que se ocuparam a sede da Assembleia do Rio de Janeiro, vamos ocupar a assembleia daqui, se invadiram o Congresso, vamos invadir o Palácio”, disse o coronel, dizendo que a polícia tem usado as redes sociais para identificar isso.

Em Curitiba, os acusados de vandalismo estavam envolvidos na depredação e tentativa de invasão do Palácio Iguaçu, sede do governo do Estado, ocorrida no final do protesto. “Foram três pressoas presas por dano ao patrimônio e quatro por desacato. Mas filmamos tudo e já identificamos outras 42 pessoas”, disse o coronoel Roberson Luiz Bondaruk, comandanate da Polícia Militar do Estado. Entre os presos estava Yuri Sfair, enteado do deputado federal Angelo Vanhoni (PT-PR). 

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade