PUBLICIDADE

GO: polícia prende homem que matou grávida estrangulada

Corpo foi deixado dentro dentro de um saco plástico em rua de Goiânia

29 dez 2014 15h57
| atualizado às 19h54
ver comentários
Publicidade
Câmera flagra homem deixando corpo de mulher morta na rua:

A Polícia Civil de Goiás apresentou, nesta segunda-feira (29), o homem suspeito de matar e abandonar o corpo de uma mulher, de 23 anos, em uma rua do setor Nova Esperança, em Goiânia. A vítima estava grávida de cinco meses.

O corpo da mulher estava dentro de um saco plástico preto e foi depositado perto de outros sacos de lixo. O crime, que aconteceu no último dia 25, foi registrado por câmeras de segurança do local. Após o descarte, o suspeito também tentou atear fogo no corpo, sem sucesso. As imagens, junto com o depoimento de testemunhas, ajudou a identificar o suspeito. O corpo foi encontrado por um catador de material reciclável no dia 26.

Segundo o delegado Fábio Meireles, da Delegacia de Homicídios, o eletricista Fábio José dos Santos Reis, 32 anos, confessou ter assassinado a moça, que era usuária de drogas. O suspeito, que foi identificado e preso horas depois do crime, disse em depoimento que era amigo da vítima, Ana Paula Pereira da Silva, e estava com ela em sua casa consumindo crack, na madrugada do dia 24 para o dia 25. “Eles tiveram uma discussão, porque ela teria furtado alguns objetos da casa dele”, detalhou o delegado, acrescentando que o suspeito disse ter enforcado a mulher, após luta corporal.

<p>Fábio José afirmou que a vítima havia furtado objetos de sua casa</p>
Fábio José afirmou que a vítima havia furtado objetos de sua casa
Foto: Polícia Civil / Divulgação

Ainda conforme o delegado, Fábio disse que teria entrado em desespero após o assassinato e saiu de casa. “Ele encontrou um monte de lixo jogado na rua, aproveitou aquele saco plástico, retornou para casa, colocou o corpo no saco e jogou no local”, disse Meireles. Após a conclusão do inquérito, que aguarda oitiva de testemunhas e laudos periciais, o suspeito poderá ser indiciado por homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e asfixia, e também pelo aborto, já que ele tinha conhecimento da gravidez da vítima. Fábio José afirmou que não era o pai da criança, que conhecia Ana Paula há algumas semanas, e eram só conhecidos.

Em entrevista coletiva a jornalistas, Fábio José declarou estar arrependido. Ele tem antecedentes por homicídio em Rondônia. “Ele alega que já cumpriu a pena lá, mas nós vamos entrar em contato com as autoridades daquele Estado”, disse o delegado. Em princípio, a polícia trabalha com o envolvimento apenas de Fábio. “Mas nós vamos apurar isso, até porque outras pessoas passavam pelo local no momento em que ele jogou o corpo”, acrescentou. 

Fonte: Especial para Terra
Publicidade
Publicidade