PUBLICIDADE

Polícia investiga se amigo da família tem participação em desaparecimento de advogada

Após marido de Anic Herdy transferir dinheiro para supostos sequestradores, amigo comprou caminhonete com dinheiro vivo

20 mai 2024 - 14h48
(atualizado às 16h09)
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Polícia investiga se amigo da família de Anic Herdy, desaparecida desde fevereiro, tem envolvimento no sumiço da adovaga.

A Polícia Civil do Rio de Janeiro investiga o paradeiro da advogada Anic de Almeida Peixoto Herdy, de 55 anos, que está desaparecida desde 29 de fevereiro, e o possível envolvimento de um amigo da família no sumiço da mulher. Anic foi vista pela última vez ao estacionar seu carro em um shopping de Petrópolis, Região Serrana do Rio. 

Ela é casada com um professor de 78 anos, Benjamin Cordei Herdy, que teria recebido mensagens de texto de supostos sequestradores da esposa, de acordo com reportagem do Fantástico, da TV Globo, exibida neste domingo, 20. 

A investigação do sequestro de Anic de Almeida Peixoto Herdy, de 54 anos, apontou o envolvimento de um amigo da família
A investigação do sequestro de Anic de Almeida Peixoto Herdy, de 54 anos, apontou o envolvimento de um amigo da família
Foto: Reprodução

"Estamos com a sua mulher. Ela está bem, nada vai acontecer com ela, só depende de você seguir as nossas instruções. Não fale com ninguém, não envolva a polícia", diz uma delas. O criminoso ainda pediu R$ 4,6 milhões em resgate. O marido de Anic cumpriu o combinado com os bandidos e enviou dinheiro.

A reportagem afirma, ainda, que os supostos sequestradores disseram a Benjamin que pedisse ajuda a "Gordo", apelido de Lourival Correa Netto Fadiga. Segundo o Fantástico, Lourival era amigo da família e começou a conviver com o casal há pelo menos três anos. Ele teria mentido se dizendo policial federal e, segundo a TV Globo, convenceu Benjamin a não procurar a polícia

Anic de Almeida Peixoto Herdy está desaparecida desde o dia 29 de fevereiro de 2024
Anic de Almeida Peixoto Herdy está desaparecida desde o dia 29 de fevereiro de 2024
Foto: Reprodução/Facebook

A polícia passou a investigar "Gordo" quando ele comprou uma caminhonete em uma concessionária na Barra da Tijuca por R$ 500 mil em dinheiro vivo, além de uma moto por R$ 30 mil, após as transferências de Benjamin. "Estava vivendo uma vida de milionário com o valor desse resgate", disse a delegada Cristiana Onorato Miguel ao Fantástico.

"Gordo", os dois filhos dele e uma mulher foram presos. Os quatro viraram réus por extorsão e sequestro e negam participação no crime, segundo a TV Globo. 

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Seu Terra












Publicidade