PUBLICIDADE

PF cumpre mandado de busca e apreensão contra empresário suspeito de financiar atos golpistas de 8/1

Em programa de rádio, Milton de Oliveira disse que ajudou "patriotas"a irem a Brasília protestar. Essa é a 13ª fase da operação Lesa Pátria

27 jun 2023 - 09h41
(atualizado às 12h17)
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Reprodução: Redes Sociais

A Polícia Federal (PF) está cumprindo nesta terça-feira, 27, mandado de busca e apreensão contra Milton de Oliveira Júnior, empresário suspeito de ter financiado os atos golpistas ocorridos em 8 de janeiro.

Na ocasião, apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro invadiram e causaram danos às sedes dos Três Poderes em Brasília.

As diligências, autorizadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF), fazem parte da 13ª fase Lesa Pátria e estão sendo realizadas na cidade de Itapetininga, em São Paulo.

Entenda investigação

Em uma entrevista concedida a um programa de rádio local, Milton de Oliveira Júnior afirmou que ofereceu apoio a "patriotas" que foram a Brasília para realizar protestos contra o governo de Lula.

Ele alegou ter fornecido recursos financeiros e mencionou possuir comprovantes das transações realizadas por meio do sistema PIX.

Em abril deste ano, o Grupo Jovem Pan rescindiu o contrato com a afiliada de Itapetininga após as declarações feitas por Milton.

De acordo com a empresa, a afiliada de Itapetininga violou cláusulas contratuais que visam preservar a marca e a reputação da empresa de comunicação.

Leia a nota da Jovem Pan

"O Grupo Jovem Pan esclarece ainda que não apoia a conduta dos administradores da produtora DPV Limitada e dos demais integrantes do programa que levou à exclusão do grupo de afiliadas Jovem Pan", disse o grupo em comunicado.

A PF investiga os supostos crimes de:

  • abolição violenta do Estado Democrático de Direito
  • golpe de Estado
  • dano qualificado
  • associação criminosa
  • incitação ao crime
  • destruição, deterioração ou inutilização de bem protegido
Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade