0

Mais de 80% das vagas do Mais Médicos já foram preenchidas

Segundo balanço do Ministério da Saúde, 7.154 médicos já foram selecionados para substituir cubanos e podem começar a atender imediatamente.

23 nov 2018
12h42
atualizado às 14h36
  • separator
  • comentários

Três dias depois da abertura das inscrições, 84% das vagas para substituir cubanos no programa Mais Médicos já foram preenchidas, de acordo com balanço do Ministério da Saúde divulgado na manhã desta sexta-feira (23).

Cuba anunciou na semana passada o fim da parceria com o Brasil no programa de ampliação ao atendimento básico à saúde, fixando médicos em regiões com carência desses profissionais. A decisão foi tomada após declarações do presidente eleito Jair Bolsonaro.

Programa Mais Médicos foi criado pelo governo de Dilma Rousseff
Programa Mais Médicos foi criado pelo governo de Dilma Rousseff
Foto: Agência Brasil / BBC News Brasil

Para evitar a falta de atendimento em 2.824 municípios e 34 comunidades indígenas, o Ministério da Saúde abriu um edital às pressas. O objetivo é convocar médicos que possam atuar nos locais onde estavam os cubanos.

Ao todo, 8.517 vagas foram abertas nesta semana, sendo que 7.154 já foram preenchidas, o que equivale a 84% do total. Quase 20 mil médicos se inscreveram no edital.

Os médicos que se inscreveram - que, segundo exigiu esse primeiro edital, possuem registro no Conselho Regional de Medicina (CRM) - podem começar a atender nas unidades de atenção básica à saúde a partir desta sexta-feira. O prazo máximo para o início do trabalho é 14 de dezembro.

"Com a alta procura e a apresentação imediata do médico ao município, a expectativa é de suprir a ausência do médico cubano com o médico com CRM o mais rápido possível", afirmou o ministro da Saúde, Gilberto Occhi.

O balanço do Ministério da Saúde surpreendeu positivamente o presidente do Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems), Mauro Junqueira, que estava preocupado com a ausência de atendimento nos locais antes ocupados por cubanos.

Segundo ele, mais de 100 vagas nos distritos indígenas, lugares preteridos nos últimos anos, já foram preenchidas, o que reflete uma conscientização dos médicos brasileiros ou dos estrangeiros que revalidaram o diploma no país.

"É um sinal de que os brasileiros reagiram muito bem", comentou.

Junqueira, no entanto, faz um apelo para que os profissionais já selecionados não esperem até o prazo limite para começarem a atender nas unidades de saúde.

"Isso é muito importante para que possamos diminuir o número de dias sem médicos nesses locais", afirmou, lembrando que muitos cubanos pararam de trabalhar nesta semana.

Cubanos, por orientação do governo do país caribenho, começaram a deixar o país nesta quinta-feira.

Diante de instabilidade relatada no sistema para concorrer às vagas abertas após a decisão de Cuba, o Ministério da Saúde prorrogou o prazo até 7 de dezembro.

Nesse período, ainda ficarão disponíveis 1.363 oportunidades para participação no programa Mais Médicos.

Deutsche Welle A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade