0

Francischini: Votação da PEC da regra de ouro vai atrasar

"Não tinha ninguém para me ajudar", confessou o presidente da CCJ da Câmara sobre a tramitação do projeto

18 out 2019
12h37
atualizado às 12h49
  • separator
  • 0
  • comentários

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, deputado Felipe Francischini (PSL-PR), afirmou nesta sexta-feira que a votação de proposta relacionada à regra de ouro terá sua tramitação atrasada porque a matéria precisa de um novo relator.

Presidente da CCJ da Câmara, deputado Felipe Francischini 
23/04/2019
REUTERS/Adriano Machado
Presidente da CCJ da Câmara, deputado Felipe Francischini 23/04/2019 REUTERS/Adriano Machado
Foto: Reuters

Segundo Francischini, o então relator da Proposta de Emenda à Constituição (PEC), deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), desistiu de relatar a matéria, razão pela qual ela foi retirada da pauta do colegiado na última semana e não deve ser votada na próxima semana.

Ao chegar para reunião do PSL, em meio à crise interna na legenda, Francischini fez ainda um desabafo sobre o que considera falta de empenho do governo em tocar a pauta Legislativa prioritária, como a reforma da Previdência, e até mesmo a proposta relacionada à regra de ouro.

"Regra de ouro, não tinha ninguém para me ajudar", disse a jornalistas.

A PEC sobre a regra de ouro, mecanismo que proíbe a emissão de dívida para cobertura de despesas correntes, altera a Constituição para conter o crescimento das despesas obrigatórias e instituir um plano de revisão dos gastos.

O deputado avaliou, ainda, que a situação do PSL, sigla do presidente Jair Bolsonaro, não é boa, mas defendeu que todos os integrantes da bancada, independentemente do racha interno, votarão com o governo nas matérias de interesse. "Já tinha um partido isolado, agora vai rachar no meio é pior ainda", afirmou.

Veja também:

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade