PUBLICIDADE

Testes em água revelam presença até de produtos radioativos

Testes realizados com a água de torneira em 763 cidades brasileiras traz resultados preocupantes

7 mar 2022 - 14h51
(atualizado às 14h54)
Ver comentários
Publicidade
Produtos químicos e radioativos foram encontrados na água de torneira
Produtos químicos e radioativos foram encontrados na água de torneira
Foto: Walter Randlehoff/Unsplash

Testes realizados na água de torneira em 763 cidades brasileiras revelam que um a cada quatro municípios forneceu o recurso com substâncias químicas e radioativas acima do limite permitido, entre os anos de 2018 e 2020, segundo uma reportagem da Repórter Brasil. Os maiores índices foram encontrados em Florianópolis (com 26 testes acima do limite), São Paulo (12 testes) e Guarulhos (11 testes), na Grande São Paulo.

A água possui pequenas doses de agrotóxicos e resíduos industriais, mas há um limite estabelecido para essas substâncias de um modo que não prejudique a saúde de quem consome. No Brasil, esse limite é mais flexível, por exemplo, do que a União Europeia. Mesmo assim, os testes mostram que há casos em que até mesmo a regulamentação brasileira foi desrespeitada.

Consumir, em longo prazo, água com quantidades dessas substâncias acima do que é permite aumenta o risco de doenças, como o câncer, problemas genéticos e hormonais, que podem afetar órgãos ou sistemas do corpo humano.

De acordo com a reportagem, as consequências vão desde diarreias a cólera até a formação de tumores devido à exposição longa a produtos radioativos. Esse alerta é feito, até mesmo, pela Organização Mundial da Saúde (OMC). 

Mapa dos testes
Mapa dos testes
Foto: Repórter Brasil

Nem sempre os resultados dessas análises são conhecidos, mas a população deveria saber desses números, já que os testes são pagos com dinheiro público. Em São Paulo, por exemplo, segundo a Repórter Brasil, a Sabesp divulga somente parâmetros da água como cor, turbidez e presença de coliformes fecais. Não há informações sobre substâncias químicas.

A reportagem encontrou o mesmo problema com empresas de outros Estados, como a Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan) e Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece).

Estados Unidos e União Europeia, por exemplo, apresentam dados sobre todas as substâncias presentes na água consumida por suas populações. As empresas, inclusive, emitem alertas quando o produto está contaminado.

Fonte: Redação Terra
Publicidade
Publicidade