PUBLICIDADE

Prédio com risco em Praia Grande: como saber se o imóvel onde moro tem algum problema?

É importante ficar atento a sinais visíveis como rachaduras, vazamentos e problemas com esquadrias

15 fev 2024 - 20h40
Compartilhar
Exibir comentários

Um prédio foi interditado em Praia Grande, litoral de São Paulo, na terça-feira, 13, por problemas nas vigas de sustentação que colocavam em risco a estabilidade da edificação. O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de São Paulo (Crea-SP) fez a perícia no local e identificou a ruptura de um pilar. Antes da interdição, os moradores identificaram trincas nas janelas e sentiram o pavimento tremer.

Para evitar problemas que pode levar até mesmo ao desabamento das estruturas, é importante que moradores estejam atentos a sinais que podem estar visíveis. Rachaduras, vazamentos e problemas com esquadrias são indicativos que merecem atenção, indica Fabiana Albano, Diretora de Relações Institucionais do Crea-SP.

Leila Valverdes, professora da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), lembra que, geralmente, os sinais antecedem os problemas maiores. Por isso, a necessidade de atenção a eles.

Prédio no bairro Aviação, em Praia Grande, foi evacuado na terça-feira; Crea-SP identificou a ruptura de um pilar
Prédio no bairro Aviação, em Praia Grande, foi evacuado na terça-feira; Crea-SP identificou a ruptura de um pilar
Foto: Taba Benedicto/Estadão / Estadão

Fabiana e Leila listam os sinais de alerta que devem ser observados por moradores para prevenir acidentes. É importante citar que nem sempre a ocorrência dessas situações irá representar prejuízos estruturais. Independentemente disso, profissionais da área devem sempre ser acionados. A movimentação anormal da estrutura de um prédio pode apresentar alguns sinais visíveis, entre eles:

  • Portas e janelas

Um dos primeiros sinais que podem aparecer no caso de comprometimento de estrutura está nas portas e janelas. Em situações de anormalidade, elas começam a emperrar, ou seja, não fecham com a facilidade que deveriam. "O usuário já consegue reparar. É uma das coisas que a gente coloca em primeiro lugar porque é muito fácil detectar", destaca a Fabiana.

  • Fissuras

As famosas rachaduras, geralmente chamadas dessa forma pelos técnicos quando há abertura maior de três milímetros, podem aparecer por uma série de motivos, entre eles, a movimentação anormal da estrutura. Para Leila, elas representam um dos principais sinais de problemas. O morador deve se atentar a localização da fissura, já que determinadas ocorrências não representam risco iminente de colapso.

"No caso das vigas, por exemplo, elas têm algumas fissuras mas elas tem deformabilidade e isso não leva a dano estrutural grave. Em lajes e pilares já ficamos atentos, especialmente em andares inferiores que recebem maior carga", explica a engenheira.

Já Fabiana destaca que, em casos de problemas, com o passar do tempo as fissuras aumentam em dimensões, tanto em espessura quanto em cumprimento, por isso devem ser sempre motivo de atenção entre os moradores.

  • Piso trincado

Movimentações estruturais que não são absorvíveis pelo rejunte podem resultar em pisos trincados, segundo Fabiana. O estufamento também pode indicar presença de infiltrações, outro ponto de alerta.

  • Infiltrações

As engenheiras destacam que o aparecimento de grandes infiltrações podem tanto representar um alerta estrutural quanto causar, a longo prazo, uma deterioração de materiais como as vigas de aço que desempenham papel fundamental na estabilidade dos prédios. Nesse caso, medidas de prevenção devem ser adotadas o quanto antes.

Como proceder?

Caso identifique alguma dessas características o morador deve acionar a administração do prédio ou a construtora que assina a obra para que haja a solicitação de uma vistoria técnica. As especialistas lamentam a falta de uma medida oficial sobre a obrigatoriedade de inspeções periódicas. "São elas que mostram aos engenheiros sinais. Isso vai garantir a segurança dos moradores", afirma a professora da USP.

Além dos cuidados com os sinais que podem aparecer visivelmente, moradores de edifícios devem sempre ser cautelosos em obras nos apartamentos. "Muitas vezes as pessoas modificam a estrutura. Se fizer isso pode estar aliviando um pilar e sobrecarregando outro", alerta Fabiana.

Leila explica que qualquer pretensão de reformas e obras em apartamentos devem ter, previamente, a consulta de um engenheiro. A Norma Brasileira 16.280 define a necessidade de entregar um projeto detalhado e assinado por especialistas em caso de obra ou intervenção no apartamento. O documento deve passar por análise do síndico que define a aprovação ou não da obra. "Dessa forma, é possível indicar qual parede pode ser removida, se vai haver necessidade de um reforço no andar. Os elementos estruturais estão todos no projeto do prédio para saber como não afetar o edifício", diz.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade