PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

Mulher é agredida com tapa no rosto por PM em estação de metrô em SP; veja vídeo

Policial militar foi identificado e afastado das funções após o ocorrido, segundo a Secretaria de Segurança Pública

8 abr 2024 - 10h06
(atualizado às 10h29)
Compartilhar
Exibir comentários
Mulher é agredida por policial militar na estação da Luz, em SP:

Um policial militar agrediu uma mulher com um tapa no rosto neste sábado, 6, na estação de Metrô da Luz, no Centro de São Paulo. A agressão foi gravada por testemunhas e as imagens repercutiram nas redes sociais. O PM foi afastado das funções após o ocorrido, segundo a Secretaria de Segurança Pública. 

No vídeo, é possível ver o PM discutindo com a vítima, que está sentada no chão. O agente fala: "Abaixa a mão para mim", enquanto a mulher afirma: "Você que está me batendo". Logo depois, ele a agride com um tapa no rosto e continua gritando com a jovem. Após alguns segundos, o policial militar sai do local.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) lamentou o ocorrido e informou que o policial envolvido na ocorrência foi identificado e afastado. A Polícia Militar instaurou um Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar as circunstâncias dos fatos.

No Instagram, o coordenador da Diversidade, da Secretaria de Justiça e Cidadania do Estado de São Paulo, Rafael Calumby, afirmou que irá abrir um processo para apurar possível prática de discriminação por orientação sexual durante a conduta do PM.

Mulher é agredida por policial militar na estação da Luz, em SP
Mulher é agredida por policial militar na estação da Luz, em SP
Foto: Reprodução

"Informo que a mulher agredida está sendo assistida por mim, via Coordenação Estadual da Diversidade de São Paulo e pela Subsecretaria da Diversidade de Guarulhos. A Coordenação Estadual da Diversidade iniciou o procedimento para abertura do processo da Lei 10.948/01", publicou Calumby. 

A Subsecretaria de Políticas da Diversidade de Guarulhos afirmou que a vítima é do município e que está em contato com ela para acompanhar o caso. "Não ficará invisível e nem passará sem apuração e justiça esse caso. A vítima também já iniciou a parte que lhe cabe das providências sobre o ocorrido", informou a página oficial da pasta.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade